Vale refuta especulações e explica medidas adotadas em Brumadinho e Barão de Cocais

Sobre a Vale

30/05/2019

Vale refuta especulações e explica medidas adotadas em Brumadinho e Barão de Cocais

A Vale afirma que jamais realizará atividades de exploração minerária nas áreas atingidas pelo rompimento da barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, e na área abrangida pela Zona de Autossalvamento (ZAS) da barragem Sul Superior, da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, em Minas Gerais.  

Em Brumadinho, o objetivo da Vale é definir a destinação da área atingida pelo rompimento conjuntamente com autoridades e moradores da região, podendo criar um corredor ecológico, dentre outras iniciativas, como parte das ações de reparação.

Em relação a Barão de Cocais, a Vale reafirma que a evacuação preventiva na ZAS foi realizada após a elevação do nível de alerta na Barragem Sul Superior, cumprindo o protocolo previsto no Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) da estrutura em alinhamento com o Poder Público. A evacuação está relacionada exclusivamente às condições de segurança da barragem.

A Vale informa ainda que a Mina de Gongo Soco está inativa desde 2016 e que a empresa não protocolou pedido na ANM para ampliação da exploração de minério na mina desde então.

A empresa refuta, portanto, qualquer especulação de que estaria promovendo a retirada de moradores ou transferência de imóveis dessas duas regiões com base em interesses econômicos. A Vale ressalta que está adotando todas as medidas preventivas de segurança em conjunto com as autoridades.

Veja outras notícias
​​

Vale refuta especulações e explica medidas adotadas em Brumadinho e Barão de Cocais