A Vale está instalando, no Rio de Janeiro, um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país.

Sobre a Vale

24/08/2020

A Vale está instalando, no Rio de Janeiro, um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país.

 imagem do terminal marítimo
TIG receberá um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país

A Vale está instalando no Terminal da Ilha Guaíba (TIG), no Rio de Janeiro, um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país. O sistema BESS (Battery Energy Storage Systems, na sigla em inglês), que está sendo desenvolvido em parceria com a Siemens e a MicroPower Comerc (MPC), irá reduzir em cerca de 20% o custo com energia do porto ao substituir o fornecimento da rede elétrica da concessionária nos horários de pico de demanda, quando a tarifa é mais cara. O equipamento tem capacidade de armazenamento de 10 megawhatts-hora, o suficiente para atender a 45 mil residências por uma hora.

A aplicação desse tipo de tecnologia é um passo importante na estratégia de descarbonização da Vale. O uso de baterias é uma das tecnologias que deverá ser aplicada para substituição de diesel por energia elétrica renovável em equipamentos de transporte, como locomotivas e caminhões fora de estrada, incluída no programa Power Shift, que está sendo implementado pela empresa. Um dos projetos é a construção de uma locomotiva 100% elétrica, que entrará em teste-piloto na Unidade de Tubarão, no Espírito Santo, ainda neste semestre. A locomotiva também será movida a bateria.

Recentemente, a empresa anunciou investimento de ao menos US$ 2 bilhões para reduzir em 33% suas emissões absolutas diretas e indiretas até 2030, com base nas premissas do Acordo de Paris, além da intenção de tornar-se carbono neutra em 2050. 

"À medida que a Vale continua a descarbonizar suas operações, o uso de baterias se tornará uma parte cada vez mais importante na eletrificação da nossa frota de equipamentos", explica o diretor de Energia da Vale, Ricardo Mendes. "Este projeto nos permite testar em campo uma nova tecnologia para acelerar a transformação de energia da Vale, que visa alcançar sua autossuficiência aumentando a geração de energia elétrica principalmente através das fontes solar e eólica em complementação a nossa geração hidrelétrica", completa.

Composto por baterias de íon-lítio fabricadas pela Tesla, o equipamento será carregado sempre que a demanda por energia do TIG estiver baixa, para, assim, poder substituir a rede da concessionária nos momentos em que essa demanda for mais alta. Este tipo de aplicação é conhecida como Peak Shaving e que, no caso do porto, poderá gerar a redução de aproxidamente 20% no custo final de energia consumida. Com a redução de custo, o BESS irá remunerar a Micropower e trará economia para a Vale, além de liberar capacidade para a rede elétrica local. A MPC será a responsável ainda pela operação do equipamento.

​​​
​​

A Vale está instalando, no Rio de Janeiro, um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país.