Recursos Humanos: os desafios da área diante da pandemia

Sobre a Vale

13/07/2020

Recursos Humanos: os desafios da área diante da pandemia

​​

A mudança radical para o regime de trabalho remoto, o isolamento social, questões emocionais, revisão de benefícios.... Não foram poucos os deságios que a área de recursos humanos precisou enfrentar após o início da crise do coronavírus no país. Com 40% dos seus empregados trabalhando remotamente, a Vale acelerou alguns processos que já vinha implementando para facilitar a adaptação ao cenário da pandemia. Segundo Milena Martins, diretora global de Cultura e Gestão de Talentos da Vale, a Valer Digital, plataforma de aprendizado lançada no ano passado, foi um destaque positivo da pandemia.

"Em menos de um ano no ar, alcançamos agora 150 mil conteúdos consumidos. É uma jornada. Repactuar foi importante para retomar com energia de compromisso para fazer acontecer”, explicou.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, a diretora lembrou que as decisões de manter o diálogo aberto e entender quais são os desafios que deverão ser enfrentados, abrindo espaço para reflexão foram fundamentais para que a Vale pudesse se adaptar ao novo cenário. Um exemplo disso é o programa de trainees, previsto para começar no mesmo período que a quarentena chegou ao Brasil. A primeira decisão foi fazer uma pausa, porém, a conversa com líderes e os próprios trainees gerou uma reformulação do programa, que passou a ser online.

"Foi um cenário de angústia, de não familiaridade, de dificuldades de prioridades da gestão e da necessidade de readequar todo o conteúdo. Não é só passar PPT, precisa ter nova metodologia", contou. "Se a gente não capturar o que são as novas necessidades e desenhar algum modelo de trabalho que responda a elas, perdemos em nível de engajamento".

Diante dos primeiros sinais de retorno à normalidade, em meio a tantas incertezas, Milena falou sobre o papel do RH de repensar algumas questões e se questionar sobre todas as possíveis decisões.

" A principal pergunta que os profissionais de recursos humanos precisam fazer agora é: será que estamos montando a nova arquitetura pelas razões certas? Será que um possível home office permanente é mais por uma questão de custo ou por valorizar o potencial dos talentos? Será que ao falar de gestão remota estamos valorizando o controle da liderança a distância ou estamos melhorando a relação de confiança entre ela e os funcionários?”.

Confira a matéria na íntegra no site do Valor Econômico (Apenas para Assinantes)

​​

Recursos Humanos: os desafios da área diante da pandemia