Com apoio da Vale, Sebastião Salgado inaugura exposição Gênesis em Londres

Sobre a Vale

10/04/2013

Com apoio da Vale, Sebastião Salgado inaugura exposição Gênesis em Londres

Banner da Exposição Gênesis

Sebastião Salgado participou de entrevista coletiva na inauguração da exposição em Londres. Fotografia: Paulo Henrique Soares

Depois de oito anos fotografando alguns dos locais mais intocados do planeta, o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado lançou na quarta-feira, dia 9, a exposição Gênesis, em uma première mundial no Museu de História Natural de Londres, na Inglaterra. Salgado visitou 32 regiões da Antártida ao Ártico, entre 2004 e 2012, com patrocínio da Vale desde 2008. O resultado foi a mostra que reúne mais de 250 fotografias. As imagens em preto e branco retratam as partes mais puras do planeta e modos de vida tradicionais, destacando a relação harmônica do homem com a natureza. Saiba mais sobre o Projeto Gênesis e confira uma galeria de fotos.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve na abertura da exposição em Londres. Amigo de longa data do fotógrafo mineiro, Lula lembrou uma frase do escritor brasileiro Eric Nepomuceno, que se referiu a Sebastião como “um caçador de luz”. "Viemos de um país que continua apostando na vida, na luz e no futuro. E ambos continuamos apostando na capacidade humana de sonhar e transformar a realidade", afirmou.

A exposição circulará por diversos países. No Brasil, será apresentada no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, a partir de 28 de maio, e em São Paulo, a partir de setembro. Além da mostra, haverá a edição de dois livros e o documentário em longa metragem 'A Sombra e a Luz’, realizado pelos diretores Juliano Ribeiro Salgado – filho de Sebastião – e pelo alemão Wim Wenders, com estreia prevista para setembro. Algumas imagens do filme foram gravadas no nosso Porto de Tubarão (ES).

O público presente participou de um jantar no próprio museu após a inauguração de Gênesis. Sebastião Salgado participa de entrevista coletiva na inauguração da exposição Gênesis, no Museu de História Natural de Londres, na Inglaterra. Salgado visitou 32 regiões da Antártida ao Ártico, entre 2004 e 2012, com patrocínio da Vale desde 2008. O resultado foi a mostra que reúne mais de 250 fotografias.
As imagens em preto e branco retratam as partes mais puras do planeta e modos de vida tradicionais, destacando a relação harmônica do homem com a natureza. O evento teve a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do embaixador Roberto Jaguaribe. Amigo de longa data do fotógrafo mineiro, Lula lembrou uma frase do escritor brasileiro Eric Nepomuceno, que se referiu a Sebastião como “um caçador de luz”. Sebastião Salgado discursou na inauguração da exposição.

Entrevista exclusiva

Qual foi o principal aprendizado dessa jornada pelos recantos mais reservados da terra?

O maior aprendizado foi descobrir que ainda temos 46% do planeta como no dia do gênesis. Eu achei isso fabuloso, uma mensagem super positiva. Descobri durante os oito anos de viagens que tudo nesse planeta é integrado, é vivo, e que nós da espécie humana, que vivemos no máximo 70, 80 anos, temos um grande defeito de calcular tudo em muito curto prazo. Tudo que ultrapassa os 100 anos para nós é muito velho, mas se a gente conseguisse compreender o planeta em milhares de anos, ou talvez milhões de anos, iríamos ver que tudo é vivo, todas as montanhas são vivas, todas as árvores são de uma vivacidade imensa, e que nós somos parte desse todo.

Qual mensagem você espera passar para o mundo?

A mensagem principal é de que as fotos do Gênesis representam a parte do mundo que temos que ajudar a preservar. A segunda mensagem, que acho a mais viável, é que podemos recuperar a parte que destruímos para construir a modernidade, a sociedade de conforto em que vivemos. Esse mundo de conforto é possível, mas temos que modificar um pouco o nosso comportamento para torná-lo mais sustentável. É preciso refazer. Principalmente as florestas, temos de replantar. Isso podemos fazer juntos.

Alguma mensagem especial para a Vale?

Eu sou da região principal onde a Vale se fixou no Vale do Rio Doce. Nós temos no conselho diretor do Instituto Terra pessoas da empresa que trabalham conosco no projeto de recuperação ambiental do Vale do Rio Doce desde o início. E eu convido todos os empregados, principalmente os que ficam na região, a irem ao Instituto Terra e a participarem da recuperação desse vale. Estamos começando um projeto junto ao governo federal para recuperar todas as fontes de água do vale e, em mais ou menos 35 ou 40 anos, refazer o rio, criar um rio completamente novo. Ajudem a gente, participem conosco dessa tarefa. Podemos fazer muita coisa juntos, tendo um comportamento mais ecológico e mais sustentável.

​​​​​​​​​

Com apoio da Vale, Sebastião Salgado inaugura exposição Gênesis em Londres