Testagem para COVID-19: entenda a diferença entre as opções disponíveis no mercado

Sobre a Vale

26/05/2020

Testagem para COVID-19: entenda a diferença entre as opções disponíveis no mercado

 

Existem no mercado diferentes testes para diagnóstico da COVID-19. Por conta disso, várias dúvidas podem surgir a respeito de qual seria o mais adequado, qual a precisão de cada um e quais os significados dos termos técnicos utilizados. Para ajudar nesta orientação, trazemos a explicação dos três tipos e testes mais comuns: IgM, IgG e PCR.

Testes rápidos IgM e IgG: os testes sorológicos

Por meio de uma picadinha no dedo, coleta-se uma pequena amostra de sangue que é colocada numa fita para detectar a presença de anticorpos IgG e IgM, produzidos pelo corpo humano para se defender do coronavírus. O resultado sai entre 10 -15 minutos sem necessidade de análise laboratorial.

Os testes rápidos não detectam o vírus nos primeiros dias de infecção ou de sintomas. Para que o teste tenha maior sensibilidade, é recomendado que seja realizado, pelo menos, 10 dias após o início dos sintomas. Isso se deve ao fato de que produção de anticorpos no organismo só ocorre depois de um período mínimo após a exposição ao vírus.

Atenção: Pessoas com resposta positiva para IgM são considerados suspeitos para doença e devem ser submetidos a uma investigação mais criteriosa por meio de testes PCR para confirmação de resultado.

PCR: os testes moleculares

Buscam a presença do vírus no organismo por meio da análise de material coletado na garganta e nariz do paciente – conhecido por “swab”. Os testes precisam ser analisados em laboratório e o resultado demora pelo menos 12h.

Estes testes são indicados para pessoas sem sintomas, com teste rápido com IgM positivo e também para pessoas com sintomas, ou seja, que estão com a doença ativa e/ou alta carga viral.

Importância dos testes

De forma geral, os resultados dos indicadores dos testes IgM e IgG devem ser analisados de maneira conjunta, considerando os sintomas e histórico do paciente. É esta combinação de informações que irá orientar o médico responsável sobre qual medida tomar.


Os testes ajudam a proteger a todos: as pessoas identificadas como caso suspeito ou confirmado devem ser isoladas para evitar a contaminação de colegas e familiares e monitoradas por profissionais de saúde. Todas as demais devem continuar se cuidado, praticando as medidas de higiene e de distanciamento social.

Reforça o médico da Vale Paulo Lima. 

Testagem para COVID-19: entenda a diferença entre as opções disponíveis no mercado