Vale investe mais de R$ 90 milhões em ações socioambientais em Minas Gerais no primeiro semestre

Sobre a Vale

20/08/2018

Vale investe mais de R$ 90 milhões em ações socioambientais em Minas Gerais no primeiro semestre

Mineração e sustentabilidade. É possível? Para a Vale, aliar as duas coisas é fundamental. Os resultados disso estão no Vale +, balanço social, econômico e ambiental da Vale em Minas Gerais no primeiro semestre de 2018. De janeiro a junho, os investimentos socioambientais no estado onde a Vale nasceu foram de R$ 93,4 milhões.

Neste período, 87% de toda a água usada nas unidades de Minas Gerais foi proveniente de reutilização. Além disso, 92% de todo o resíduo gerado nas unidades de Minas Gerais teve destinação sustentável – reprocessamento, reuso, compostagem, entre outros.

Acreditando no potencial transformador da cultura e do conhecimento, investimos R$ 13,8 milhões em patrocínios via Lei Rouanet e recurso direto. Localizado em Belo Horizonte, Memorial Minas Gerais Vale, recebeu 55 mil visitantes apenas no primeiro semestre. Foram grupos de mais de 400 escolas conhecendo o museu no período, fora as 23 mil visitas virtuais.

Produção e desenvolvimento econômico

Apenas nos primeiros seis meses do ano, a produção de minério de ferro da Vale em Minas Gerais foi de 90,6 milhões de toneladas. As atividades da Vale no estado geraram arrecadação de R$ 676,2 milhões, considerando-se os mais importantes tributos pagos ao governo. A contribuição para a economia local também pode ser notada pelos R$ 3,8 bilhões em compras realizadas em empresas de Minas no semestre.

Importante serviço oferecido pela Vale, o Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) transportou 546 mil pessoas no primeiro semestre.

Quer saber mais sobre o papel da Vale no desenvolvimento socioeconômico do estado? No Balanço Vale + você pode conhecer mais exemplos da nossa atuação e ter acesso a informações consolidadas do primeiro semestre.

Acesse o relatório completo!

Vale investe mais de R$ 90 milhões em ações socioambientais em Minas Gerais no primeiro semestre