Vale revitaliza Capelinha de Macacos, em Nova Lima

Sobre a Vale

18/01/2021

Vale revitaliza Capelinha de Macacos, em Nova Lima

​​

No mês em que comemora-se o Dia de São Sebastião (20 de janeiro), os moradores de Macacos (São Sebastião das Águas Claras), em Nova Lima, receberam a Capela de São Sebastião totalmente revitalizada. A Capelinha de Macacos, como é conhecida, é um importante ponto turístico da comunidade e é tombada pelo Conselho Consultivo Municipal do Patrimônio Histórico de Nova Lima. A igreja recebeu R$ 1,4 milhão em investimentos na reforma, que respeitou e manteve suas características originais, datadas do século XVIII. A ação é uma medida compensatória à elevação do nível da barragem B3/B4, da Mina Mar Azul, e faz parte do trabalho da Vale para promover a segurança das suas barragens nos territórios evacuados e a retomada da normalidade da vida das pessoas.

A igreja é composta por duas edificações - a capela e um edifício de apoio. Na capela foi realizado a remoção e tratamento de fissuras e trincas, substituição do forro, reforma do telhado, pinturas externa e interna das paredes e esquadrias, reforma do piso, restauração das imagens, dedetização, substituição das instalações elétricas, implantação de sistema de sonorização e instalação de sistema contra incêndios. O edifício de apoio foi reconstruído e ganhou nova cozinha, instalações sanitárias, sala de sacristia, sala multiuso, depósito e pátio coberto.

"Tivemos o cuidado de não fazer nada sem dialogar com a arquidiocese e com as pessoas da comunidade. Esse diálogo com as pessoas, com o poder público e instituições é uma premissa para a Vale no trabalho de promover o bem estar social até devolvermos a normalidade para a vida das pessoas", destaca o gerente do Território de Macacos da Vale, Nildo Frasão.

Clique aqui para navegar pelo tour 360º

Povoado se formou ao redor da Capela

A Capela de São Sebastião leva o nome do padroeiro da localidade, São Sebastião. Sua construção data do século XVIII e se confunde com a formação do povoado. A descoberta de ouro na região atraiu tropeiros, garimpeiros e viajantes que foram se instalando nos arredores da capela, colocando a igrejinha no centro da comunidade. Emoldurada pela rica vegetação local, a capela mantém a tradição cristã católica desde os tempos coloniais, ostentando, à sua frente, um cruzeiro de madeira e, em seu interior, um acervo de imagens e detalhes em madeira.

​​

Vale revitaliza Capelinha de Macacos, em Nova Lima