23/03/2016

Berge Stahl atraca pela última vez no Porto de Tubarão

​​
Porto de Tubarão
Último atracamento do navio no Porto de Tubarão, no início de fevereiro (Foto: Saelly Pagung)

O MV Berge Stahl, que antes da construção dos navios Valemax era o maior mineraleiro do mundo, atracou pela última vez no Porto de Tubarão. O fato aconteceu neste mês e no ano em que o navio completa 30 anos, idade máxima permitida para um navio atracar em nossos terminais. Na ocasião, como uma homenagem aos anos de parceira, alguns empregados da Vale foram recebidos a bordo para um almoço de confraternização a convite do comandante do Berge Stahl, Surat Darbari, e do armador, Berge Bulk. “Foi uma grande oportunidade de prestarmos nosso respeito a esse navio que se tornou uma lenda, conhecido e celebrado por todo o mundo, contando inclusive com um documentário no National Geographic sobre ele”, afirmou o Port Captain de Tubarão, Mario Rodrigues.

Existem 87 ônibus que circulam diariamente pela área
Fábio e colegas junto ao Berge Stahl (Foto: Arquivo pessoal)

Em 8 de dezembro de 1994, ao atracar no Porto de Tubarão, esta embarcação norueguesa quebrou dois recordes: o de maior navio atracado neste porto e maior toneladas embarcada. Com capacidade de 364.767 toneladas, em Tubarão, recebeu 325.186 toneladas de minério de ferro e pelotas, permanecendo 40 horas no Porto. “Eu me lembro de quando terminamos a amarração do navio... A primeira impressão que tivemos era de que o Píer II havia sumido, engolido pela magnitude daquela fantástica embarcação”, disse o diretor de Operações Logísticas, Fábio Brasileiro.

Quem também possui boas recordações deste navio é o gerente de Capacitação e Tecnologia Logística, Jorge Fernandes. “O Berge é meu fiel companheiro de jornada porque começamos praticamente juntos a operar nos portos da Vale, em 1986. Mas os nossos encontros foram raros, seja em Tubarão ou em Ponta de Madeira. Entretanto, ainda lembro bem da sua primeira operação em Vitória, quando eu era gerente de programação operacional. Como foi grande a expectativa para compor a carga e preparar todos os aspectos operacionais para atender o navio que iria bater os recordes de carga em Tubarão!”, lembra.

Jorge com o navio ao fundo
Jorge com o navio ao fundo (Foto: Arquivo pessoal)

Com suas enormes dimensões, o Berge foi durante mais de 20 anos, até a construção dos atuais Valemax, soberano em todos os mares como o maior navio graneleiro do mundo. “O navio Berge Stahl, com sua eficiência energética, alta capacidade de manobra e qualidade e segurança de seus sistemas auxiliares de controle de amarração, levou para todos os portos por onde passou pelo mundo a importância, a grandiosidade e a eficiência do Projeto Carajás. E mais do que isso, ele também colaborou para que a Vale exigisse e estabelecesse um padrão de segurança e eficiência para praticamente toda a frota que demandou Ponta da Madeira. Afinal, se o maior navio conseguia tamanho padrão de excelência, segurança e produtividade, não haveria motivos para navios menores e mais tradicionais também não buscassem aquela qualidade”, contou Jorge.

Feito especialmente para realizar o transporte de minério da Vale, a sua principal rota é, até hoje, de Ponta Madeira, no Maranhão, à Rotterdam, na Holanda. E durante esses 30 anos de operação e viagens quase mensais à Vale, a qualidade, eficiência e segurança com que sua tripulação trabalha, devem ser ressaltados. Em cerca de 400 operações nos portos da Vale, nunca foi registrado um único acidente ou falha, reafirmando, assim, a excelência de seu ofício. Este ano, em especial, o navio atracou no Píer II, em Tubarão, devido a um problema que ocorreu em sua rota original. Antes disso, a última vez que ele tinha vindo até os mares capixabas foi em 2009.

Alguns empregados Vale foram recebidos a bordo
Alguns empregados Vale foram recebidos a bordo
​​
​​​

Berge Stahl atraca pela última vez no Porto de Tubarão