Complexo de Tubarão 50 anos

Este ano o Complexo de Tubarão completa 50 anos de existência e não faltam motivos para celebrar. Um importante marco no crescimento da Vale, o Complexo reúne hoje 8 Usinas de Pelotização, operações portuárias para o embarque de minério de ferro, pelotas, produtos agrícolas e o desembarque de carvão. Nossas operações contam o que há de mais moderno em Gestão Ambiental e nossa cadeia produtiva é responsável pela criação de milhares de empregos diretos e indiretos, contribuindo com o desenvolvimento do Espírito Santo.

Linha do tempo 50 anos

Galeria de vídeos 50 anos

Visita ao Porto de Tubarão: #valeconhecer
Visita ao Porto de Tubarão: #valeconhecer
Em Movimento: Parque Botânico Vale
Em Movimento: Parque Botânico Vale
Veja mais vídeos

Causos e histórias

Oswaldo Barros

Oswaldo Barros
Gerente de Manutenção Mecânica das Usinas de Pelotização

Hoje, ao olhar para trás, vejo que tive sucesso no que me propus a fazer, tendo dado uma boa contribuição à CVRD ou Vale que foi tudo para mim. Foram 22 anos trabalhados com muita alegria e prazer ao lado de brilhantes companheiros engenheiros, técnicos, supervisores, mecânicos e outros, sem os quais seria impossível atingir nossas metas com sucesso.

continuar lendo

Alcides Pinto, Roberto Tavares e Pedro Siqueira de Almeida

Todo empregado tem orgulho de vestir a camisa, e comigo não foi diferente. Trabalhar na Vale e depois ser convidado para falar da empresa que trabalhamos por décadas nos enaltece. Tem gente que fala que somos um patrimônio da Vale, porque vimos ela crescer realmente. Eu conheço isso aqui igual eu conheço as minhas filhas.

continuar lendo

Notícias

Gestão Ambiental do Complexo de Tubarão

Em nossas operações no Complexo de Tubarão adotamos o que há de mais moderno em gestão ambiental. Concluímos, em março de 2016, uma série de melhorias nos nossos terminais. As intervenções contemplam os píeres I e II, por onde é feito o embarque de minério e pelotas, e no Terminal Praia Mole (TPM), por onde é efetuado o desembarque de carvão. Iniciadas em 2015, as melhorias contemplam investimentos estruturais e revisões nos processos de manuseio dos graneis sólidos, com o objetivo de bloquear a fuga de material nas operações de carregamento e descarregamento das embarcações.

Confira as melhorias realizadas no porto

Correias transportadoras

Fazem o transporte do minério de ferro até os carregadores de navio
  • Ganharam novos dispositivos de limpeza e raspagem, reduzindo ao mínimo a queda de material durante o carregamento.
  • As correias dos píeres ganharam novo sistema de aspersão para reduzir a suspensão do material particulado.
  • As áreas de entorno das correias transportadoras do píer II ganharam calhas coletoras que direcionam o minério que pode se desprender das correias para o local correto.

Carregadores de navio

Levam o minério de ferro e as pelotas até os navios para embarque
  • Os carregadores ganharam rodapés para aumentar a contenção de material e facilitar o acesso para limpeza.

Descarregadores de carvão

Ao desembarcar, levam o carvão dos navios até o porto
  • Lonas de contenção foram instaladas, entre o navio e a estrutura do píer, para impedir eventual queda de material no mar.

Outras melhorias

  • Mais mão de obra e equipamentos adicionais para a limpeza, evitando o acúmulo de material nas estruturas.
  • Aumento na frequência de manutenção dos equipamentos e sistemas de limpeza.
  • Melhorias nos sistema de drenagem dos píeres para evitar o acúmulo de água nesses locais.

Há uma série de outras medidas de médio e longo prazo em curso. Uma das mais relevantes é o fechamento das correias transportadoras que alimentam o Píer II. Com isso, reduziremos a dispersão do material fugitivo na atmosfera, prevenindo uma eventual queda no mar, durante o transporte do minério nas correias até os porões dos navios. Previsão de conclusão para fevereiro de 2017.

O Gerente de Meio Ambiente Romildo Fracalossi fala sobre as melhorias estruturais no Porto de Tubarão. Assista ao vídeo.

Com a evolução do pensamento ecológico e a preocupação das instituições e do publico em geral em relação aos impactos da atividade humana sobre a natureza, a Vale seguindo essa tendência iniciou um processo de estruturação de áreas dedicadas ao Meio Ambiente e Sustentabilidade. Antes mesmo do Brasil ter uma legislação que se trata do assunto, o Complexo de Tubarão já contava nos anos 80 com um Plano Diretor para Proteção do Meio Ambiente. De lá para cá muita coisa evolui. Hoje o Complexo reutiliza quase todos os resíduos produzidos, reaproveita grande parte da água usada nos processos internos e vem ano a ano reduzindo significativamente as emissões de poluentes e particulados de suas operações.

Confira a evolução da Gestão Ambiental de Tubarão na linha do Tempo:

Conheça nossas tecnologias de controle ambiental

  • Barreira de Vento (Wind Fence)
  • Supressor de Pó
  • Casa de Transferência
  • Precipitador Eletrostático
  • Carregadores de Navio
  • Aspersores de Água
  • Reaproveitamento de Água
  • Reaproveitamento de Resíduos
anterior próximo
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. 7
  8. 8

Tire suas dúvidas

A Vale é a grande responsável pela poeira na região da Grande Vitória?

Não. A poeira sedimentável, popularmente chamada de pó preto ou pó de minério, que vem sendo atribuída às operações da Vale, tem diversas fontes: atividade industrial, construção civil, desgaste de pneus e escapamentos de veículos, poeira de vias, queimadas, gases emitidos por navios, entre outras fontes.

Atualmente, a Vale participa de importante estudo que vai mapear as fontes emissoras da poeira, gerando informações fundamentais para que os órgãos ambientais possam fazer uma gestão estratégica da qualidade do ar da região. Este mapeamento é uma parceira com o Ministério Público Estadual, o Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vitória e a comunidade.

O que a Vale faz para reduzir a emissão de poeira?

Todo o sistema produtivo da Vale em Tubarão, desde a chegada do minério até o embarque nos navios, é equipado com as mais modernas tecnologias de controle ambiental. Nas pilhas de minério e pelotas, aplicamos polímeros e supressores de pó, produtos que evitam a emissão de poeira. Nos navios, instalamos novas calhas nos carregadores, mais longas, que direcionam os produtos nos porões das embarcações. Nas correias transportadoras, fechamos as áreas onde há transferências de produtos. E, por fim, nas usinas de pelotização, instalamos 25 precipitadores eletrostáticos, equipamentos que têm eficiência de 99% no controle das emissões nas chaminés.

O Complexo de Tubarão possui ainda um Centro de Controle Ambiental (CCA), que monitora as operações da Vale 24 horas por dia, por meio de um circuito fechado de TV, composto por 22 câmeras. O CCA permite a tomada de ações imediatas, com agilidade e eficiência, em caso de desvios operacionais. Em 2014, registramos uma redução em torno de 84% nas emissões visíveis, em relação a 2012, ano de início de operação do CCA, o que demonstra clara evolução de nossa gestão ambiental.

A Wind Fence realmente funciona?

Sim. Essa tecnologia proporciona uma redução de 77% na emissão de poeira nos pátios de estocagem. Esta eficiência foi medida com métodos e equipamentos apropriados e os resultados foram apresentados e aprovados pelos órgãos locais competentes - Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA) e Ministério Público do Espírito Santo (MPES).

A “Wind Fence” é uma barreira de vento construída ao redor dos pátios de estocagem que funciona como uma grande cerca, reduzindo a velocidade do vento sobre as pilhas e impedindo o arraste das partículas para a atmosfera.

O minério faz mal a saúde?

A Vale monitora os reflexos na saúde dos seus empregados relativos à exposição ao minério de ferro, presente no ambiente de trabalho. Não temos registros de profissionais na ativa ou aposentados que tenham apresentado problemas de saúde, ou que tenham sido afastados, em decorrência da exposição ao minério de ferro.

#valeconhecer:
Conheça os ativos socioambientais da Vale no Espírito Santo

Uma viagem no Trem de Passageiros ou um piquenique com a família no Parque Botânico? Um final de semana na Reserva Natural Vale ou um café no Museu Vale? Ou quem sabe ainda ver de perto os grandes navios do Complexo de Tubarão? Essa é a proposta da campanha #valeconhecer. A Vale convida você a v​isitar nossos ativos socioambientais no Espírito Santo e a dividir seus momentos conosco.

Não deixe de registrar a sua visita e compartilhar a foto na rede usando #valeconhecer.

Estamos de portas abertas para receber você.

Saiba mais sobre eles:

Reserva Natural Vale
Museu Vale
Parque Botânico
Complexo de Tubarão
Trem de Passageiros
Reserva Natural Vale
Conheça a Reserva Natural Vale

A Reserva Natural Vale é uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica brasileira. Localizada em Linhares (ES), foi adquirida pela Vale nos anos 50. Ali já foram catalogadas mais de 2.313 espécies vegetais, cerca de 1.458 espécies de insetos, mais de 102 de mamíferos, além de 391 aves, o que corresponde a cerca de 20% das espécies de aves registradas em todo o país.

Nossa reserva, que tem ao todo 23 mil hectares, é aberta ao público. Temos um hotel e áreas de lazer, como piscina, hidromassagem natural e quadra esportiva. Além disso, há espaço para caminhadas em trilhas e um Centro de Visitantes com informações sobre educação ambiental.

Conheça o mapa da Reserva e programe uma visita com sua família e amigos.

Às margens da baía de Vitória, em Vila Velha (ES), está o Museu Vale. Inaugurado em 1998, o museu foi instalado na antiga sede da Estação Pedro Nolasco, um prédio de três andares construído em 1927. Entre suas metas estão proporcionar à população capixaba um espaço de excelência em arte contemporânea, incentivar os jovens a usar a criatividade na busca do conhecimento e preservar a memória da centenária Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM).

Com suas exposições e oficinas de arte, o museu promove o contato com a diversidade das linguagens, técnicas e estéticas contemporâneas. Além disso é um espaço ideal para um passeio em família.

Saiba mais sobre o Museu Vale!

Com 33 hectares de área verde, o Parque Botânico Vale está localizado no cinturão do Complexo de Tubarão. Quem visita o local tem a oportunidade de conhecer o primeiro Jardim Sensorial permanente do Espírito Santo, estrutura que tem o objetivo de estimular os cinco sentidos e promover uma forma diferenciada de interação com a natureza.

O parque conta também com o Vagão do Conhecimento, biblioteca com capacidade para 3.500 exemplares, montada em um vagão de trem, e com acervo de audiolivros, voltado para deficientes visuais.

No parque está instalado o único orquidário da Grande Vitória aberto à comunidade. Recentemente inauguramos uma Fonte dos Desejos e um espaço redário onde os visitantes podem relaxar em contato com a natureza bem perto da cidade.

Saiba mais sobre a programação do parque e planeje a sua visita!

Maior produtor de pelotas do mundo, o Complexo de Tubarão ocupa uma área física de 14 mil km2. Por lá estão instalados o maior pátio ferroviário da América Latina e oito usinas de pelotização da empresa, que juntas produzem mais de 20 milhões de toneladas por ano. Além das unidades operacionais, o Complexo conta com um prédio administrativo, oito refeitórios, agências bancárias e posto dos Correios.

Além disso, em nossas operações no Complexo de Tubarão adotamos o que há de mais moderno em gestão ambiental. Nos últimos anos, investimos R$ 700 milhões em melhorias e controles ambientais de redução da emissão de poeira, reduzimos o consumo de água nos nossos processos produtivos e reaproveitamos boa parte dos resíduos produzidos.

Quer conhecer tudo isso de perto? Venha visitar o Complexo de Tubarão e conheça melhor as atividades desenvolvidas pela Vale.

Novo Trem de Passageiros da EFC

Além do transporte de cargas, a Estrada de Ferro Vitória a Minas mantém o único trem de passageiros diário no Brasil, ligando duas regiões metropolitanas: Cariacica (ES) e Belo Horizonte (MG).

Em funcionamento desde 1907, o trem transporta cerca de um milhão de passageiros por ano e percorre 664 quilômetros de regiões de belas paisagens e importância histórica. A viagem dura aproximadamente 13 horas.

No trem, há vagão que funciona como lanchonete, outro para restaurante, vagão exclusivo para portadores de necessidades especiais e ar-condicionado. A novidade do Trem é o serviço de wi-fi e entretenimento a bordo.

Saiba mais sobre o Trem de passageiros

Veja os vídeos da nova campanha #valeconhecer

Museu Vale
Parque Botânico Vale
Reserva Natural Vale
Trem de passageiros

O caminho do Minério

A Vale no ES em números

A Vale no ES em números

Galeria de fotos

 

A Vale está de portas abertas para receber você

A Vale está de portas abertas para receber você

Você pode agendar sua visita pelo site ou vir espontaneamente ao Parque Botânico Vale em Jardim Camburi e consultar disponibilidade de horários. Por aqui passam cerca de 20 mil pessoas por dia e você vai ver de perto grandes navios, as barreiras de vento do tamanho de prédios de 10 andares e conhecer o dia a dia do nosso trabalho na Ponta de Tubarão. São 50 anos contribuindo com o desenvolvimento do Espírito Santo.

Agende sua Visita

Como Chegar

Veja abaixo como chegar ao parque:

Endereço do Parque Botânico

Av. dos Expedicionários S/N - Jardim Camburi, Vitória
Tel: (27) 3333-6200

Acessar mapa