Crescer e evoluir juntos

Iniciativas

Crescer e evoluir juntos

Crescer e evoluir juntos

O nome é Rosileide de Castro, mas pode chamar de Rosinha. É assim que a moradora de Curionópolis e empregada da Vale na mina de Serra Leste é conhecida pelos amigos, familiares e colegas de trabalho. E quem conhece a Rosinha logo se encanta pelo sorriso fácil e espontâneo que não revela uma das características mais marcantes dessa mulher: a determinação.

Rosinha cresceu em Curionópolis, cidade que ficou conhecida mundialmente pelo garimpo do ouro na vila de Serra Pelada, que atraiu pessoas de todos os lugares do Brasil em busca da possibilidade do enriquecimento. Foi esse mesmo objetivo que levou os pais de Rosinha a migrarem do Maranhão em 1981, quando a filha tinha dois anos de idade. A expectativa de mudar de vida por causa do ouro não se tornou realidade, mas a família decidiu ficar na cidade e construir uma nova história a partir dali.

Cedo Rosinha percebeu que a conquista de uma vida melhor estava na região, também sob a terra, mas não era o ouro e nem o garimpo. A presença da Vale e os projetos de mineração locais, sim, eram a verdadeira oportunidade de crescimento que a jovem deveria perseguir. “Desde quando eu tinha meus 12 anos que eu tinha vontade de entrar na empresa”, lembra.

Inspiração

O sonho de trabalhar na Vale foi transformado em combustível na busca pelo crescimento pessoal. A jovem se tornou mulher, casou, teve três filhos, se graduou em Pedagogia, fez pós-graduação em Psicopedagogia e começou trabalhar como professora. Sempre levou consigo o sorriso contagiante, apesar de sentir que faltava alguma coisa. “Dediquei 10 anos da minha vida como educadora de educação infantil, mas eu tinha essa vontade de trabalhar na Vale.”

Agarrando a oportunidade

Foi em 2008 que Rosinha finalmente avistou a grande oportunidade aguardada desde a adolescência. Ao se inscrever no Programa de Trainee da empresa, ela integrou uma turma de formação profissional orientada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Foram quatro meses de aulas teóricas voltadas às atividades no setor de mineração.

A segunda etapa do curso – destinada à formação prática dentro da empresa – ocorreu em 2010, quando Rosinha tornou-se trainee da Vale. Ela iniciou as atividades como operadora de trator de esteira no Manganês, no Complexo de Carajás, em Parauapebas. Aquele era, sem dúvida, um dos momentos mais felizes da sua vida, afinal, o sonho trazido desde a adolescência finalmente se transformava em realidade.

A etapa de formação prática durou 24 meses, sendo oito deles no Manganês e o restante em Carajás, na mina de ferro. Como trainee, Rosinha atuou em diversos setores da empresa, o que ampliou seu desenvolvimento como profissional. “Quando entrei, fui para a operação, operei o trator de esteira, depois fui para o caminhão, passei uma temporada na sala de rádio”, recorda.

Desenvolvimento permanente

A dedicação e a vontade de crescer de Rosinha foram reconhecidas ao final do período de aprendizagem quando ela foi efetivada como empregada da Vale em Carajás. Vitoriosa e sempre dedicada, ela se manteve atenda às oportunidades oferecidas pela empresa. “A Vale ajuda o empregado no desenvolvimento pelo fato de ela proporcionar as suas formações. Você tem escolha de fazer um curso técnico, você tem escolha de fazer o ensino superior. Ela não te prepara apenas para o teu setor de trabalho, ela te prepara para o mercado”, pontua.

E os anos que se seguiram foram de aprendizado dentro da empresa. Com apoio financeiro da Vale, ela fez o curso técnico de mineração e participou de mais de 40 capacitações e treinamentos internos de aperfeiçoamento, etapas que a preparam para um novo momento na carreira. Em 2014, com o início de Serra Leste, uma nova operação de minério de ferro da Vale em Curionópolis, Rosinha foi transferida e passou a atuar na equipe de controle técnico, área de suporte à operação da mina.

Olhando sua trajetória profissional, Rosinha tem certeza de que valeu a pena acreditar em um sonho e, mais do que isso, sabe o quanto é gratificante vivê-lo diariamente. “Foi um crescimento profissional, amadureci bastante e eu sou muito feliz naquilo que eu faço. Eu visto esse uniforme com orgulho mesmo. O que mais me emociona no meu trabalho é o reconhecimento”, resume.

São seis anos de Vale e a empolgação ainda é a mesma do primeiro como trainee, garante Rosinha. Ela se sente ainda mais feliz porque as conquistas no ambiente de trabalho representaram vitórias também na vida pessoal. “Tenho tentado dar maior conforto em casa. A minha família é muito importante e eu faço tudo que faço em prol do pensamento de dar uma estabilidade pra minha família”, orgulha-se.

Crescer e evoluir juntos

Assista ao vídeo

​​ ​ ​​​​​​​​​​​