Gente que faz música, música que faz gente

Iniciativas

Gente que faz música, música que faz gente


Dos 66 músicos que atualmente integram a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, a mais importante casa de espetáculos do Pará, 34 foram formados pelo Vale Música. Joás da Costa, de 19 anos, é um deles. Ainda criança, ingressou no programa em 2012, quando conheceu o eboé, se apaixonou por esse instrumento de sopro e passou a dividir seu fôlego entre os estudos e os ensaios.

Jóas descobriu sua aptidão para a música na igreja, onde participava de um coral de flautas doces. “Foi lá que um dos professores me indicou o Vale Música. Eu moro no bairro da Marambaia, periferia de Belém, nunca imaginei participar de grandes espetáculos. Para ter uma ideia, eu nem conhecia o eboé, que é um instrumento muito caro e, por isso, pouco difundido. O Vale Música me trouxe muitas oportunidades como artista”, conta. Atualmente, ele também cursa Bacharelado em Música no Instituto Estadual Carlos Gomes.

Há mais de uma década, o programa já ajudou a formar centenas de artistas e abriu oportunidades para que eles pudessem mostrar seu talento dentro e do Pará, como também é o caso de Rafaele Brabo, de 22 anos. Ela chegou ao Vale Música por indicação de um vizinho, que já era aluno do programa. Lá, ela cresceu como artista e decidiu contribuir para levar cultura para a população. “Em Belém, são poucas as oportunidades que existem envolvendo a cultura. No Vale Música, eu vivi experiências maravilhosas e desejo que outras crianças também possam ter essa oportunidade”, afirma.

 

A música nos faz crescer de dentro para fora”

Rafaele Brabo

Hoje com bacharelado em Música e pós-graduação em Metodologia da Arte e Educação Musical, Rafaele tornou-se professora do Vale Música e, também, da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e do Instituto Carlos Gomes.

Além de apoiar o desenvolvimento de novos músicos paraenses, beneficiando crianças e jovens de escolas públicas, o Vale Música amplia o acesso da população à cultura, com a realização de espetáculos gratuitos todos os meses. “Nossa porta é aberta, nós não cobramos ingresso para assistir os concertos. Qualquer pessoa pode chegar aqui, subir e participar dos nossos eventos. Com isso, automaticamente, contribuímos para a formação de plateia”, afirma Glória Caputo, diretora do Vale Música.


O Programa

A Vale acredita que, assim como as notas musicais, o apoio à cultura se propaga e alcança resultados surpreendentes. O Vale Música é uma iniciativa realizada pela Fundação Amazônica de Música com patrocínio da empresa, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).

Criado em 2004, já atendeu mais de mil alunos. Todo o curso é oferecido gratuitamente e, além das aulas, o programa disponibiliza os instrumentos musicais, uniforme, alimentação e transporte aos participantes.

Conheça mais sobre a história da Rafaele, do Joás e do Vale Música assistindo ao vídeo abaixo:

​​​​​