Renovando esperanças em Serra Pelada

Iniciativas

Renovando esperanças em Serra Pelada

O dia em que o filho virou com fome pedindo algo para comer foi a gota d’água para Roberto Carvalho buscar uma nova oportunidade de geração de renda em casa. Com lágrima nos olhos, o jovem de 28 anos, lembra que na época estava há quatro anos desempregado, e estabeleceu uma meta pessoal: mudar a própria vida e a dos outros moradores de Serra Pelada, vila de Curionópolis. A mudança surgiu em 2015, dentro de caixinhas de madeira.

Na época, a equipe da Vale chegou na vila levando na bagagem uma possível solução: cursos técnicos para a implantação da criação assistida de abelhas, ou seja, a produção de mel por meio da apicultura. A atividade foi encarada como uma oportunidade de dar à comunidade uma outra chance de geração de renda.

Mel puro produzido nos apiários de Serra Pelada prontos para a venda no comércio local

Terra de muitas histórias do passado, Serra Pelada então abraçou a apicultura na esperança de escrever um novo futuro. A prática de baixo custo se adaptou muito bem à natureza da pequena vila. De aulas experimentais, a produção tornou-se a possibilidade de nova profissão e, com apoio da empresa, foram doadas e instaladas as primeiras estruturas dos apiários nos sítios dos moradores interessados na produção do mel puro e de qualidade, próprio para o uso medicinal e na cozinha.

Roberto Carvalho foi um dos candidatos a iniciar a produção, que vem se tornando uma paixão pessoal. Depois de participar de cursos, consultorias e receber suporte técnico, escolheu o sítio do sogro para iniciar o negócio sustentável. O resultado chamou a atenção dos demais moradores, e, com o tempo, mais famílias aderiram à ideia de transformar a vila num polo do mel na região.

José Mendes, apicultor associado na APIMESP

A procura levou os apicultores a fundarem, com o apoio da Vale, a Associação dos Apicultores e Meliponicultores de Serra Pelada (Apimesp), iniciando as atividades com 30 famílias, e uma primeira produção anual de 1.500 litros de mel artesanal.

“Vi na atividade da apicultura é uma oportunidade de melhorar a minha renda e mudar de vida, realmente. A gente começa a conhecer a vida das abelhas e todo esse mundo que é desconhecido para a gente. Não tem como você não se apaixonar”, afirma.

Os produtores usam roupas apropriadas compradas por meio da parceria com a Vale

Em maio deste ano, a Vila de Serra Pelada deu mais um passo importante. Com recursos e apoio da empresa, recebeu a Casa do Mel, uma área de 3,5 hectares e o imóvel com melhorias, por meio de contrato de comodato assinado com a associação. Junto com a estrutura, o grupo recebeu colmeias, centrífuga, decantador e quadros que estão auxiliando no processo de produção e, em breve, o maquinário ficará completo com a mesa desoperculadora, equipamentos de proteção e ceras, uma estrutura de beneficiamento que irá reduzir o tempo de coleta do mel e permitir o aumento da produção do produto.


Veja abaixo mais fotos da iniciativa:

Casa de Mel inaugurada em maio irá centralizar o beneficiamento da produção de Serra Pelada
Equipamentos e caixinhas foram compradas por meio da parceria com a Vale
Manoel Filho, apicultor associados da APIMESP
Parte dos equipamentos começaram a ser instalados e, no futuro, irá acelerar o tempo de produção
Produção ficará mais rápida com a utilização da centrifuga instalada na Casa de Mel
Produtores receberam capactação para o manejo seguro e adequado nos apiários
Roberto Carvalho, presidente da APIMESP
Serra Pelada pode se tornar um dos polos produtores de mel na região do Pará


Com a melhoria, os associados sonham em ver um dia o mel produzido na localidade no comércio das cidades vizinhas. “Hoje sou apicultor e também me sinto um empreendedor. É claro que um pequeno empreendedor, mas vou conseguir aumentar e melhorar a atividade daqui a um tempo, e ir melhorando de vida”, acredita.

Assista ao vídeo sobre a iniciativa:

​​​​