Samarco faz nova expedição com sonar ao longo do Rio Doce

Comunicados

28/03/2016

Samarco faz nova expedição com sonar ao longo do Rio Doce

A Samarco continua monitorando a vida aquática no Rio Doce. Com esse objetivo, foi realizada a segunda expedição com o sonar para identificar a presença de peixes e de outros elementos da fauna marinha ao longo do rio. O trecho percorrido compreende a foz do Rio Doce, no povoado de Regência, no Espírito Santo, e o reservatório da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, no município de Rio Doce, em Minas Gerais.

O trabalho, realizado entre os dias 16 e 21 de março, é semelhante ao executado no mês de dezembro e vai dar origem a um novo relatório. Foi avaliada a ocorrência de peixes ao longo de aproximadamente 670 km, incluindo os rios impactados ou não pela pluma de turbidez.

Com um sonar acoplado a um barco propulsionado com um motor de popa, cada uma das seções do rio foi percorrida de forma a cobrir a área estudada com maior representatividade possível, conforme metodologia do estudo.

O método foi escolhido em função da rapidez de resposta e por não necessitar capturar peixes. Por outro lado, considerando-se somente o objetivo primário do diagnóstico, de detectar a presença de peixes, os métodos convencionais (redes, tarrafas e outros) poderiam resultar em falsos negativos, ou seja, quando existem peixes, mas esses não são capturados, e dessa forma não representariam a realidade, explica o biólogo e especialista em Ictiofauna Fábio Vieira, da ACQUA Consultoria e estudioso da vida aquática do Rio Doce há mais de 20 anos.

​​​​

Samarco faz nova expedição com sonar ao longo do Rio Doce