Biodiversidade

Sustentabilidade

Biodiversidade

A biodiversidade é um tema essencial e intrínseco ao nosso negócio. Por isso, estamos comprometidos em conhecer e monitorar as regiões em que atuamos, gerenciar riscos e impactos e agir de forma transparente em relação às práticas da empresa junto à sociedade.

Entre as iniciativas, estão pesquisas com foco no conhecimento sobre os territórios e ampliação do conhecimento sobre espécies ameaçadas, recuperação de áreas degradadas, inovação, desenvolvimento de tecnologias e manutenção de áreas protegidas que constituem importantes remanescentes dos biomas em que atuamos.

Navegue pelos temas abaixo para saber mais informações sobre nossa atuação.

Conservação ambiental
Natureza e pessoas
Pesquisa e desenvolvimento
Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Conservação ambiental

Ao todo são 8,5 mil km² de áreas protegidas pela Vale, valor aproximadamente 5,6 vezes maior do que o total da área ocupada pelas unidades operacionais da empresa. Do total de áreas que a empresa ajuda a proteger, 4,5% são próprias, constituídas por áreas de reserva legal, Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e propriedades destinadas a conservação.

Compromisso com a recuperação de áreas no Brasil

O Brasil possui o compromisso de recuperar 12 milhões de hectares de vegetação nativa, previstos na Política Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, de modo a impulsionar a regularização ambiental das propriedades rurais brasileiras através da recuperação das áreas de preservação permanente (APP) e reserva legal (RL), mas também das áreas degradadas com baixa produtividade. Por meio dessa política o governo brasileiro pretende contribuir igualmente com o acordo climático assinado em Paris. Nesse sentido, a Vale decidiu contribuir para o alcance desses compromissos com a meta de recuperar 100 mil hectares de áreas degradadas até 2030.

Recuperação de 100 mil hectares de áreas degradadas até 2030

Reserva Natural Vale

A Reserva Natural Vale (RNV), em Linhares, que possui 23 mil hectares, é uma das nossas principais áreas protegidas, e compõe o maior remanescente contínuo de Mata Atlântica de Tabuleiros do sudeste do país. Reconhecida como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pela Unesco, a RNV é um importante espaço para conservação da biodiversidade e para a pesquisa. Além disso, possui espaços de uso público que permitem maior integração das comunidades e do público em geral com a natureza, por meio de trilhas, exposições, espaço para eventos e um hotel.

Conheça a página da Reserva Natural Vale

Acessar página

Saiba mais

+3.000

espécies vegetais

+395

espécies de aves

+30 mil

visitantes por ano

241

projetos de pesquisas desenvolvidos

Conservação da Biodiversidade no Quadrilátero Ferrífero

Atualmente a Vale mantém 21 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) em Minas Gerais, na região do Quadrilátero Ferrífero. Essas áreas assumem importante papel na conservação de remanescentes representativos e característicos da área de transição entre os biomas da mata atlântica e cerrado, que abrigam espécies ameaçadas da flora e da fauna. As RPPNs, em conjunto com áreas protegidas de terceiros, formam corredores ecológicos importantes, auxiliando na dispersão das espécies da fauna e da flora.

Acesse site com mais informações sobre a RPPN Mata do Jambreiro

Acessar página
Conservação de mais de 70 espécies ameaçadas da flora e da fauna Mais de 12.800 hectares protegidos

Floresta Nacional de Carajás (FLONA)

A Floresta Nacional de Carajás, em conjunto com outras áreas protegidas, forma o mosaico de Carajás e constitui um dos maiores blocos de vegetação nativa do sudeste do Pará. A gestão dessa unidade de conservação de uso sustentável é de responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com o qual a Vale tem uma importante parceria focada em investimento para a conservação e pesquisa da biodiversidade.

O Instituto Tecnológico Vale e o Museu Paraense Emílio Goeldi firmaram uma parceria público-privada em dezembro de 2014, para fortalecer a base botânica com foco na atuação sustentável da mineração na Floresta Nacional de Carajás. Concluída em tempo recorde, a Flora da canga de Carajás aumentou muito o número estimado de espécies. O conhecimento gerado por este projeto foi desdobrado em estudos avançados que permitem a confirmação de fatores como o grau de ameaça a que estão sujeitas as espécies locais.

1.094 espécies de plantas

Parque Botânico

A Vale possui atualmente três parques botânicos sob sua administração: em Vitória (ES), em São Luís (MA) e em Carajás (PA). Os locais, que são abertos a visitação, abrigam centenas de espécies de árvores e se fazem habitat de vários animais. Em Carajás, o parque abriga ainda um zoológico com diversas espécies. Em todos eles, os visitantes têm acesso a ações educativas voltadas para a preservação ambiental, como oficinas, eventos e trilhas ecológicas. Para conhecer mais sobre cada um dos parques, acesse as páginas abaixo.

Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Natureza e pessoas

A Vale investe em projetos que apoiam o desenvolvimento sustentável das comunidades. Por meio deles, além da preservação e estudo do meio ambiente, a empresa visa a melhorar a renda e a qualidade de vida da população local.

Fundo Vale

O Fundo Vale é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) criada em 2009 como parte da estratégia de sustentabilidade da Vale, com o objetivo de colaborar com a conservação de biomas ameaçados e melhoria das condições de vida das populações locais. Até 2019, apoiou 54 inciativas de conservação e uso sustentável da Amazônia, aportando cerca de R$ 120 milhões, em três programas de trabalho: Monitoramento Estratégico, Áreas Protegidas e Biodiversidade, e Municípios Verdes. o Fundo Vale se consolidou como um dos principais financiadores ambientais do bioma, aparecendo entre os 10 principais segundo estudo realizado pela Fundação Moore (sendo o único de origem privada).

A experiência acumulada pelo Fundo Vale mostrou que a conservação da Amazônia passa pelo sucesso de uma economia que valorize a floresta em pé. Assim, desde 2015, o Fundo Vale vem buscando fortalecer sua estratégia de apoio às cadeias produtivas de base florestal e sustentável. A partir de 2017 sua estratégia está focada no fomento de um ecossistema de negócios socioambientais. A ideia é criar um ambiente mais vibrante de negócios sustentáveis com impactos positivos mensuráveis, bem como instrumentos financeiros que potencializem as cadeias de base florestal e baixo carbono.

Acesse o site e saiba mais

Clique aqui

Contribuições do Fundo Vale:

Implementação e consolidação de mais de 279 mil km² de Unidades de Conservação, em seis estados da Amazônia Construção do 1º protocolo comunitário do país para repartição justa e equitativa dos benefícios advindos do uso da biodiversidade Apoio à capacitação para gestão dos territórios e uma visão de negócios para produtos da sociobiodiversidade em Reservas Extrativistas no Pará

Pesca Sustentável na Costa Amazônica

O Fundo Vale mantém uma importante parceria com a Unesco no litoral amazônico, com foco na articulação para o desenvolvimento e fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis da pesca artesanal.

Saiba mais sobre o projeto Pesca Sustentável na Costa Amazônica da Unesco

Acessar página

Conheça alguns dos resultados

30

comunidades em 10 municípios da Costa Amazônica beneficiadas

271

oficinas de protagonismo juvenil, promovendo a formação continuada para cerca de 300 jovens em 3 três estados.

22

oficinas para capacitação técnica, beneficiando mais de 800 pessoas

44

parceiros institucionais, incluindo entidades do setor público e privado, instituições de ensino e pesquisa, ONGs e associações comunitárias.

Amigos da Jubarte

O litoral capixaba apresenta uma das maiores concentrações de baleias Jubarte do Brasil, mas a falta de um diagnóstico da viabilidade do ecoturismo de observação de baleias era um entrave para o estímulo desta atração local. Nesse contexto, a Vale passou a apoiar o projeto “Amigos da Jubarte”, que tem como objetivo promover uma aproximação da sociedade capixaba com as baleias por meio de ações de caráter científico, de educação ambiental e cultural, além de influenciar políticas públicas.

Conheça mais sobre o projeto

Clique aqui
Marcos do projeto Mapeamento, capacitação e certificação de mestres de embarcação e operadoras de turismo Criação da plataforma Jubart.Lab - laboratório científico inédito no estado que agrega os dados, acervo de fotos e vídeos produzidos nas expedições marítimas Ações do projeto engajaram mais de 6.000 pessoas
Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Pesquisa e desenvolvimento

A Vale investe em estudos para avaliar áreas, habitats e espécies sensíveis, tendo como prioridade evitar e mitigar impactos sobre a biodiversidade. Abaixo é possível conferir informações sobre o Instituto Tecnológico Vale (ITV) e algumas das pesquisas desenvolvidas e apoiadas pela empresa.

Instituto Tecnológico Vale (ITV)

Em 2009, a Vale criou em Belém, no Pará, o Instituto Tecnológico Vale (ITV) com a missão de desenvolver e organizar o conhecimento para o uso responsável dos recursos naturais no setor de mineração. O ITV conta com uma equipe de cerca de 100 pesquisadores que atuam em temas como biodiversidade, serviços ecossistêmicos, recursos hídricos, socioeconomia, ocupação e uso do solo, mudanças climáticas, genômica da paisagem, entre outros.

Visite o site do ITV e saiba mais sobre suas iniciativas

Acessar
Ilustração de um tubo de ensaio.

Pesquisas

DNA Barcodes
Impacto das mudanças climáticas em animais
Abelhas de Carajás
Polinização em áreas protegidas

DNA Barcodes e Genômica: Base para Licenciamento e Conservação da Biodiversidade

A mudança climática e as queimadas ameaçam a biodiversidade amazônica. Para reduzir esse impacto, um trabalho científico de mapeamento da flora e fauna do bioma vem sendo feito pelo Instituto Tecnológico Vale. A pesquisa, que utiliza a metodologia de DNA barcoding, consiste em implementar um código de barras DNA e disponibilizar em uma plataforma digital para identificação de seres vivos. O uso da tecnologia molecular agiliza a identificação de plantas e animais e permite ainda estudar algumas espécies que são de difícil identificação. Com este trabalho, a Amazônia pode ser considerada o único bioma brasileiro com uma biblioteca genética de referência.

Produção de mais de 10.000 códigos de barras de DNA para aproximadamente 5.000 espécimes

Esta é a única região do Brasil que possui a flora totalmente caracterizada por códigos de barras de DNA

Conservação ambiental
Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Conservação ambiental

Ao todo são 8,5 mil km² de áreas protegidas pela Vale, valor aproximadamente 5,6 vezes maior do que o total da área ocupada pelas unidades operacionais da empresa. Do total de áreas que a empresa ajuda a proteger, 4,5% são próprias, constituídas por áreas de reserva legal, Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e propriedades destinadas a conservação.

Compromisso com a recuperação de áreas no Brasil

O Brasil possui o compromisso de recuperar 12 milhões de hectares de vegetação nativa, previstos na Política Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, de modo a impulsionar a regularização ambiental das propriedades rurais brasileiras através da recuperação das áreas de preservação permanente (APP) e reserva legal (RL), mas também das áreas degradadas com baixa produtividade. Por meio dessa política o governo brasileiro pretende contribuir igualmente com o acordo climático assinado em Paris. Nesse sentido, a Vale decidiu contribuir para o alcance desses compromissos com a meta de recuperar 100 mil hectares de áreas degradadas até 2030.

Recuperação de 100 mil hectares de áreas degradadas até 2030

Reserva Natural Vale

A Reserva Natural Vale (RNV), em Linhares, que possui 23 mil hectares, é uma das nossas principais áreas protegidas, e compõe o maior remanescente contínuo de Mata Atlântica de Tabuleiros do sudeste do país. Reconhecida como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pela Unesco, a RNV é um importante espaço para conservação da biodiversidade e para a pesquisa. Além disso, possui espaços de uso público que permitem maior integração das comunidades e do público em geral com a natureza, por meio de trilhas, exposições, espaço para eventos e um hotel.

Conheça a página da Reserva Natural Vale

Acessar página

Saiba mais

+3.000

espécies vegetais

+395

espécies de aves

+30 mil

visitantes por ano

241

projetos de pesquisas desenvolvidos

Conservação da Biodiversidade no Quadrilátero Ferrífero

Atualmente a Vale mantém 21 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) em Minas Gerais, na região do Quadrilátero Ferrífero. Essas áreas assumem importante papel na conservação de remanescentes representativos e característicos da área de transição entre os biomas da mata atlântica e cerrado, que abrigam espécies ameaçadas da flora e da fauna. As RPPNs, em conjunto com áreas protegidas de terceiros, formam corredores ecológicos importantes, auxiliando na dispersão das espécies da fauna e da flora.

Acesse site com mais informações sobre a RPPN Mata do Jambreiro

Acessar página
Conservação de mais de 70 espécies ameaçadas da flora e da fauna Mais de 12.800 hectares protegidos

Floresta Nacional de Carajás (FLONA)

A Floresta Nacional de Carajás, em conjunto com outras áreas protegidas, forma o mosaico de Carajás e constitui um dos maiores blocos de vegetação nativa do sudeste do Pará. A gestão dessa unidade de conservação de uso sustentável é de responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com o qual a Vale tem uma importante parceria focada em investimento para a conservação e pesquisa da biodiversidade.

O Instituto Tecnológico Vale e o Museu Paraense Emílio Goeldi firmaram uma parceria público-privada em dezembro de 2014, para fortalecer a base botânica com foco na atuação sustentável da mineração na Floresta Nacional de Carajás. Concluída em tempo recorde, a Flora da canga de Carajás aumentou muito o número estimado de espécies. O conhecimento gerado por este projeto foi desdobrado em estudos avançados que permitem a confirmação de fatores como o grau de ameaça a que estão sujeitas as espécies locais.

1.094 espécies de plantas

Parque Botânico

A Vale possui atualmente três parques botânicos sob sua administração: em Vitória (ES), em São Luís (MA) e em Carajás (PA). Os locais, que são abertos a visitação, abrigam centenas de espécies de árvores e se fazem habitat de vários animais. Em Carajás, o parque abriga ainda um zoológico com diversas espécies. Em todos eles, os visitantes têm acesso a ações educativas voltadas para a preservação ambiental, como oficinas, eventos e trilhas ecológicas. Para conhecer mais sobre cada um dos parques, acesse as páginas abaixo.

Natureza e pessoas
Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Natureza e pessoas

A Vale investe em projetos que apoiam o desenvolvimento sustentável das comunidades. Por meio deles, além da preservação e estudo do meio ambiente, a empresa visa a melhorar a renda e a qualidade de vida da população local.

Fundo Vale

O Fundo Vale é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) criada em 2009 como parte da estratégia de sustentabilidade da Vale, com o objetivo de colaborar com a conservação de biomas ameaçados e melhoria das condições de vida das populações locais. Até 2019, apoiou 54 inciativas de conservação e uso sustentável da Amazônia, aportando cerca de R$ 120 milhões, em três programas de trabalho: Monitoramento Estratégico, Áreas Protegidas e Biodiversidade, e Municípios Verdes. o Fundo Vale se consolidou como um dos principais financiadores ambientais do bioma, aparecendo entre os 10 principais segundo estudo realizado pela Fundação Moore (sendo o único de origem privada).

A experiência acumulada pelo Fundo Vale mostrou que a conservação da Amazônia passa pelo sucesso de uma economia que valorize a floresta em pé. Assim, desde 2015, o Fundo Vale vem buscando fortalecer sua estratégia de apoio às cadeias produtivas de base florestal e sustentável. A partir de 2017 sua estratégia está focada no fomento de um ecossistema de negócios socioambientais. A ideia é criar um ambiente mais vibrante de negócios sustentáveis com impactos positivos mensuráveis, bem como instrumentos financeiros que potencializem as cadeias de base florestal e baixo carbono.

Acesse o site e saiba mais

Clique aqui

Contribuições do Fundo Vale:

Implementação e consolidação de mais de 279 mil km² de Unidades de Conservação, em seis estados da Amazônia Construção do 1º protocolo comunitário do país para repartição justa e equitativa dos benefícios advindos do uso da biodiversidade Apoio à capacitação para gestão dos territórios e uma visão de negócios para produtos da sociobiodiversidade em Reservas Extrativistas no Pará

Pesca Sustentável na Costa Amazônica

O Fundo Vale mantém uma importante parceria com a Unesco no litoral amazônico, com foco na articulação para o desenvolvimento e fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis da pesca artesanal.

Saiba mais sobre o projeto Pesca Sustentável na Costa Amazônica da Unesco

Acessar página

Conheça alguns dos resultados

30

comunidades em 10 municípios da Costa Amazônica beneficiadas

271

oficinas de protagonismo juvenil, promovendo a formação continuada para cerca de 300 jovens em 3 três estados.

22

oficinas para capacitação técnica, beneficiando mais de 800 pessoas

44

parceiros institucionais, incluindo entidades do setor público e privado, instituições de ensino e pesquisa, ONGs e associações comunitárias.

Amigos da Jubarte

O litoral capixaba apresenta uma das maiores concentrações de baleias Jubarte do Brasil, mas a falta de um diagnóstico da viabilidade do ecoturismo de observação de baleias era um entrave para o estímulo desta atração local. Nesse contexto, a Vale passou a apoiar o projeto “Amigos da Jubarte”, que tem como objetivo promover uma aproximação da sociedade capixaba com as baleias por meio de ações de caráter científico, de educação ambiental e cultural, além de influenciar políticas públicas.

Conheça mais sobre o projeto

Clique aqui
Marcos do projeto Mapeamento, capacitação e certificação de mestres de embarcação e operadoras de turismo Criação da plataforma Jubart.Lab - laboratório científico inédito no estado que agrega os dados, acervo de fotos e vídeos produzidos nas expedições marítimas Ações do projeto engajaram mais de 6.000 pessoas
Pesquisa e desenvolvimento
Foto do pássaro preto pousado no galho da árvore

Pesquisa e desenvolvimento

A Vale investe em estudos para avaliar áreas, habitats e espécies sensíveis, tendo como prioridade evitar e mitigar impactos sobre a biodiversidade. Abaixo é possível conferir informações sobre o Instituto Tecnológico Vale (ITV) e algumas das pesquisas desenvolvidas e apoiadas pela empresa.

Ilustração de um tubo de ensaio.

Instituto Tecnológico Vale (ITV)

Em 2009, a Vale criou em Belém, no Pará, o Instituto Tecnológico Vale (ITV) com a missão de desenvolver e organizar o conhecimento para o uso responsável dos recursos naturais no setor de mineração. O ITV conta com uma equipe de cerca de 100 pesquisadores que atuam em temas como biodiversidade, serviços ecossistêmicos, recursos hídricos, socioeconomia, ocupação e uso do solo, mudanças climáticas, genômica da paisagem, entre outros.

Visite o site do ITV e saiba mais sobre suas iniciativas

Acessar

Pesquisas

DNA Barcodes e Genômica: Base para Licenciamento e Conservação da Biodiversidade

A mudança climática e as queimadas ameaçam a biodiversidade amazônica. Para reduzir esse impacto, um trabalho científico de mapeamento da flora e fauna do bioma vem sendo feito pelo Instituto Tecnológico Vale. A pesquisa, que utiliza a metodologia de DNA barcoding, consiste em implementar um código de barras DNA e disponibilizar em uma plataforma digital para identificação de seres vivos. O uso da tecnologia molecular agiliza a identificação de plantas e animais e permite ainda estudar algumas espécies que são de difícil identificação. Com este trabalho, a Amazônia pode ser considerada o único bioma brasileiro com uma biblioteca genética de referência.

Produção de mais de 10.000 códigos de barras de DNA para aproximadamente 5.000 espécimes

Esta é a única região do Brasil que possui a flora totalmente caracterizada por códigos de barras de DNA