TCA de Camburi

TCA de Camburi

Conheças as iniciativas do TCA de Camburi

Recuperação da restinga da Praia de Camburi

Para recuperar a restinga, será feito o plantio e manutenção de 25,5 mil mudas de plantas nativas em uma área de 140 mil m², equivalente a 14 campos de futebol.

Tipos rasteiros, arbustos e árvores serão distribuídos ao longo da praia, proporcionando um ambiente melhor para as espécies que habitam essa região.

A implantação ocorrerá em duas fases: a primeira fase acontecerá no trecho entre o Atlântica Parque e a Avenida Adalberto Simão Nader. A segunda fase ocorrerá entre a Avenida Adalberto Simão Nader e o Píer de Iemanjá.

Após a recuperação, a Vale fará a manutenção da restinga durante 2,5 anos.

Imagem Praia de Cambiru

O que será feito?

O trabalho de recuperação e proteção física da restinga da Praia de Camburi prevê:

Cercamento (implantação em novas áreas e manutenção do cercamento existente)

Coleta/remoção de material inerte

Controle das formigas cortadeiras

Controle das plantas invasoras

Coveamento, adubação e plantio de mudas, irrigação e replantio

Assista o vídeo e veja a importância da recuperação da restinga e como ela está avançando com as obras do TCA.

Imagem Praia de Cambiru

Recuperação da área emersa da região norte da Praia de Camburi

Na área norte da Praia de Camburi está sendo feito um grande trabalho de recuperação na faixa de areia que não é banhada pelo mar, onde a Vale está retirando minério de ferro que foi depositado nos anos 1970, substituindo por areia nova.

Todo esse trabalho é realizado conforme projeto aprovado pelos órgãos ambientais.

As intervenções incluem a retirada do material composto por areia e minério de ferro e a recomposição com areia e argila em uma área de 43 mil m², equivalente a cerca de quatro campos de futebol.

Durante o período das obras, previsto até o final do próximo ano, a área, localizada ao Norte do Atlântica Parque, no final da praia de Camburi, será interditada por questões de segurança.

O que será feito?

Resgate de fauna e flora

Retirada do Material com Minério de Ferro

Supressão da Vegetação (espécies exóticas)

Recomposição com Sedimentos Limpos (argila e areia)

Limpeza da Matéria Orgânica e Inorgânica

Transporte e Disposição Final do Material com Minério de Ferro em Aterro de Resíduos Externo

Recomposição da vegetação

Assista o vídeo e veja como a recuperação da área Norte de Camburi está avançando

A recuperação em números

Recuperação areia

43 mil m² de área - 4 campos de futebol


20 mil m³ de material serão retirados a uma profundidade entre 15 centímetros e um metro


Uma mistura de 17 mil m³ de areia e 4 mil m³ de argila será usada na recomposição da faixa de areia

Restinga

Plantio de 25,5 mil mudas de plantas nativas


Em uma área de 137 mil m² ao longo da orla - equivalente a cerca de 14 campos de futebol.


10 mil metros lineares de cerca em 48 setores ao longo da praia

Importante

Todo o processo de elaboração de projetos e execução das obras está sendo acompanhado por uma comissão formada por membros do MPES, MPF, IEMA, SEMMAM, e por representantes das associações de moradores de Jardim Camburi, Mata da Praia e Jardim da Penha.

Quer saber mais?

Fale com nossos profissionais de relações com comunidade (comunidades.es@vale.com / 027 98817-7081) ou acesso os canais de comunicação da Vale.

Atenção

A área das obras, localizada ao Norte do Atlântica Parque, no final da praia de Camburi, está interditada temporariamente para preservar a segurança dos frequentadores e das pessoas que estão trabalhando nas atividades de recuperação.

Vale responde

Por que o TCA foi assinado?

Até o final da década de 1970, a Vale possuía um procedimento operacional que resultou no depósito de minério no final da Praia de Camburi, bem próximo à empresa. Esse procedimento não acontece há mais de 30 anos e, desde então, a empresa conta com medidas de controle e contenção para impedir esse tipo de ocorrência.

Há anos a Vale vem realizando diversos estudos para definir a melhor forma de solucionar a questão, discutindo tecnicamente a viabilidade das ações de recuperação e de compensação com os órgãos ambientais competentes. A assinatura de um TCA foi uma solução encontrada para viabilizar a execução das ações, envolvendo os diversos órgãos e para garantir transparência de todo o processo para a sociedade.

E como está o impacto causado?

Resultados dos estudos contratados pela Vale e confirmados pelos órgãos ambientais mostraram que o corpo de sedimentos é composto basicamente de minério de ferro, que está contido nessa região da praia, não afetando outros pontos, e que a fauna e a flora da região estão com o seu processo de desenvolvimento estáveis, com a presença de espécies típicas de regiões costeiras/ estuarinas.

Que ações estão previstas no TCA para recuperação dessa parte da Praia de Camburi?

1) Cessão das Fontes de Poluentes para o rio Camburi por meio de um acordo de Cooperação Técnica proposto pelos órgãos públicos competentes com a participação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEAMA), Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA), Ministérios Públicos Federal e Estadual, a Agência Estadual de Recursos Hídricos (AGERH), Companhia Espírito Santense de Saneamento (CESAN) e as Secretarias Municipais de Meio Ambiente de Vitória e Serra. O termo não prevê ação específica para a Vale em relação a esse tópico.

2) Monitoramento Específico da Área de Intervenção da Praia. Nesse item está prevista a elaboração e execução do Programa de Monitoramento Ambiental da Região Norte da Praia de Camburi que prevê o monitoramento da água, do sedimento e da vida marinha especificamente na região em que há minério. Esse monitoramento tem o objetivo de acompanhar a qualidade ambiental da região antes e depois das ações de recuperação e compensação implantadas. O monitoramento vem sendo executado periodicamente, conforme planejamento.

3) Recuperação da Orla Emersa. Prevê a remoção superficial dos sedimentos com minério de ferro da região emersa, ou seja, que não é banhada pelo mar, e também a recuperação do solo e da vegetação com espécies nativas e paisagísticas.

E que ações de compensação estão previstas?

1) Elaboração de projeto e implantação de um Parque Costeiro. Foco em Educação Ambiental e Pesquisa. O projeto está em aprovação pela Prefeitura.

2) Elaboração de projeto e implantação de um Parque de Esportes e Lazer. O Atlântica Parque foi entregue em fevereiro de 2019 e a administração é realizada pela Prefeitura de Vitória.

3) Recuperação da restinga da Praia de Camburi.

Além disso, estão previstas medidas adicionais à recuperação ambiental como:

4) Elaboração dos Estudos para a recuperação da erosão da região Sul da Praia de Camburi, perto do Píer de Iemanjá. Realizado.

5) O processo de mobilização social. Realizado de forma contínua.

Sobre a recuperação da parte Norte da praia

O que será feito na região?

Serão retirados 20 mil metros cúbicos de areia e minério da área emersa. O projeto de recuperação prevê a retirada de uma camada de 50cm de profundidade média da área emersa, com a substituição por areia e argila e posterior reflorestamento com espécies nativas.

Nesta área, após a recuperação, será implantado o Parque Costeiro, com foco em educação ambiental, que será mantido pela Vale, integrado ao Atlântica Parque, transformando toda a região Norte da Praia de Camburi numa área de lazer e educação ambiental para a comunidade.

Por que a Vale não vai retirar o minério que está submerso?

Os estudos não apontaram soluções seguras para a retirada do material, que se encontra estável na área submersa.

A área será isolada?

Sim. Durante o período das obras, a área a ser recuperada, localizada ao Norte do Atlântica Parque, no final da praia de Camburi, está interditada por questões de segurança, uma vez que há movimentação de máquinas e equipamentos no local.

Que espécies animais existem no local? Foram resgatadas? Para onde foram enviadas?

Antes do início das atividades de recuperação foi realizado um processo de resgate das espécies de animais existentes na região, como guaiamuns, pequenos anfíbios, esquilos, entre outros pequenos animais.

Os animais forma remanejados para locais apropriados para cada espécie. Os guaiamuns, por exemplo, foram manejados para a Estação Ecológica Ilha do Lameirão. Outras espécies serão colocadas no entorno do Parque Botânico ou em áreas da Unidade Tubarão.

Após a recuperação e a reintrodução da flora nativa, a fauna será naturalmente atraída para o local.

Onde está sendo depositado o material retirado?

O material removido da parte emersa está sendo destinado ao Aterro Industrial da Marca Ambiental, em Cariacica.

O material é tóxico?

Não. O material foi caracterizado como um resíduo não perigoso, por tratar-se de um material não inflamável, não corrosivo, não tóxico, não patogênico e nem possuir tendência a sofrer uma reação química.

Qual o valor do investimento?

Estão sendo investidos cerca de R$ 35 milhões na obra.

Quantas vagas de emprego estão sendo geradas durante as obras?

Estão gerados cerca de 70 empregos diretos na obra.

Rio Camburi

O Rio Camburi já foi despoluído?

A cessão das fontes de poluição para o Rio Camburi conta com ações em execução por parte da Companhia Espírito Santense de Saneamento (CESAN) e das Secretarias Municipais de Meio Ambiente de Vitória e Serra. O termo não prevê ação específica para a Vale em relação a esse tópico.

A intervenção a ser realizada pela Vale na parte emersa prevê a retirada da areia também ao longo do Rio Camburi, que terá as margens fixas refeitas.

Pandemia

Que cuidados a Vale está tomando em relação ao coronavírus nessa obra especificamente?

As obras estão seguindo todas as medidas necessárias para reforçar a prevenção ao coronavírus (Covid-19) que já vêm sendo praticadas nas operações da Vale. A empresa colocou em prática uma série de ações preventivas e proativas para evitar aglomeração, como redução da quantidade de pessoas nas portarias, nos ônibus e nos restaurantes, além de uso de máscaras, triagem prévia e medição de temperatura.