Sobre a Vale

11/10/2018

Centro de Tecnologia de Ferrosos da Vale completa 10 anos

​​

A Vale possui um dos mais avançados centros de pesquisas na aplicação de minério de ferro e carvão na siderurgia. O Centro de Tecnologia de Ferrosos, que completou 10 anos em setembro, avalia o portfólio de produtos da empresa, desenvolvendo novos ou aprimorando os que já temos.

O CTF é um centro de pesquisas de alto nível que trabalha de forma integrada ao Marketing e à Assistência Técnica da nossa empresa. Localizado em Nova Lima (MG), o CTF é um dos grandes diferenciais para nos posicionar como uma empresa competitiva e sustentável no mercado.

O CTF já conseguiu oito patentes e duas outras estão em análise.

“Focamos em soluções técnicas, evidenciando a qualidade e os benefícios nos processos dos clientes na indústria siderúrgica.”

Aloisio Borges, gerente Administrativo de Suporte Tecnológico

Nossos produtos, reconhecidos pela qualidade premium, passam por uma análise técnica e especializada, que avalia não apenas a demanda do mercado, mas a aplicação de cada um na siderurgia. Ou seja, entendemos o tipo de produto que trará o melhor resultado para o cliente, com ganhos em custos, sustentabilidade e produtividade.

Mas o que o Centro de Tecnologia de Ferrosos consegue fazer?

Alguns dos destaques são equipamentos capazes de proporcionar análises detalhadas de diversos processos. Os produtos Vale, por exemplo: Brazilian Blend (BRBF), Sinter Feed de baixa alumina (SFLA), IOCJ, com a entrada em operação de S11D, são testados no CTF para avaliar seus desempenhos nos processos dos clientes. Esses testes podem indicar a necessidade de ajustes de qualidade para torná-los mais adequados às necessidades dos nossos clientes.

Inovação e tecnologia

Forno de amolecimento e fusão: capaz de simular o comportamento da carga metálica (sínter, pelotas e minério granulado) no alto-forno do cliente. A análise dessa simulação permite mapear tendências de performance do produto e, com isso, entender o melhor “blend” de minérios. Esse foi um dos estudos usados para desenvolver o BRBF, que é fruto da blendagem dos minérios dos corredores Sudeste e Norte.


Microscopia digital e análise de imagens: permite automatizar etapas fundamentais de caracterização do produto, medindo frações de fases, texturas e porosidades em minério de ferro, sínter e pelotas. Essas informações são fundamentais para o desenvolvimento de produtos e soluções. É como se o DNA do minério fosse analisado.


Determinação da composição mineralógica em sínter de minério de ferro via microscopia óptica com análise de imagens

Aglomeração a frio: estudos realizados para que o procedimento de aglomeração de minérios finos para formar a pelota possa ser feito a frio ou a temperaturas mais baixas, e não mais a quente, como é hoje. Um dos benefícios disso é a redução do consumo de energia.

​​
​​

Centro de Tecnologia de Ferrosos da Vale completa 10 anos