Sobre a Vale

Plano Ambiental de Tubarão

Plano Diretor Ambiental de Tubarão

A Vale lançou, em agosto de 2018, o Plano Diretor Ambiental de Tubarão, conjunto de ações que reforçam o compromisso com a sustentabilidade das nossas operações, em Vitória, no Espírito Santo. O plano prevê ações para reduzir ao máximo das emissões de poeira e aprimorar a gestão hídrica da Unidade Tubarão nos próximos cinco anos. O investimento de R$ 1,27 bilhão em ações ambientais, é o maior na questão ambiental da empresa.

A Vale reduzirá em 93% suas emissões difusas de poeira de 2010 até 2023

Nosso compromisso é reduzir ao máximo as emissões. Com os investimentos feitos até hoje obtivemos as melhores tecnologias e garantimos que todo o sistema produtivo esteja equipado com controles ambientais de padrão internacional

 
Luiz Eduardo Osorio
Diretor-executivo de Sustentabilidade
e Relações Institucionais da Vale

Veja algumas ações previstas no plano


Destaques do Plano Diretor Ambiental



6,5 km de novas barreiras de vento (wind fences)

40 km de correias transportadoras serão adequadas

3 canhões de névoa para criar uma cobertura de névoa de água sobre as pilhas no pátio de pelotas

5 viradores de vagões enclausurados

1.220 sistemas de transferência de correias que serão adequados e/ou enclausurados

37 mil m2 de telhas para enclausuramento das casas de transferência


695 sistemas de limpeza de correias instalados e/ou modificados

180 mil m3 de volume de reserva de água e efluentes

Compromisso ambiental e tecnologia de ponta

O Plano Diretor Ambiental de Tubarão é um avanço nos investimentos e resultados para redução de poeira alcançados pela Vale nos últimos 10 anos, período no qual foi investido cerca de R$ 1 bilhão em controles ambientais.

Com os investimentos feitos até o momento, os equipamentos e processos da Unidade Tubarão – como wind fences e precipitadores das usinas – já se encontram entre as chamadas Melhores Tecnologias Práticas Disponíveis (MTPD), de acordo com o relatório elaborado pela Cetesb, pelo Iema e pelos ministérios públicos. Isso reafirma a eficiência dos controles ambientais instalados nos últimos anos.

Com as ações previstas no Plano Diretor Ambiental, que contemplam as 48 recomendações da Cetesb destinadas à Vale, a empresa vai chegar à máxima eficiência de controle, com um fator de emissão estimado de 1,5 grama de poeira por tonelada de produto movimentado nos píeres.