Barragens

Barragens

Barragens

Ações da Vale em Brumadinho

Última atualização em 24 de abril de 2019

Desde o rompimento da Barragem I da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), 25/1, a Vale está empenhando todos os esforços necessários para apoiar as pessoas atingidas. Com o objetivo de dar agilidade a este trabalho, foi criado o Grupo de Resposta Imediata, responsável por consolidar todas as ações emergenciais. Foi instaurado também o Comitê de Ajuda Humanitária que conta com uma equipe de assistentes sociais, psicólogos e especialistas em traumas, para prestar assistência e acolhimento aos atingidos.

Apoio financeiro e humanitário

  • Mais de 6,8 mil atendimentos médicos e psicológicos realizados;
  • Mais de 46 mil itens de farmácia comprados;
  • 10 hospitais e unidades de saúde mobilizados para atender aos atingidos;
  • 208 acomodações disponibilizadas;
  • Fornecimento de alimentação, itens de higiene pessoal e primeira necessidade, medicamentos, vestuário e transporte;
  • Cerca de 400 profissionais trabalhando atualmente em 5 em 12 postos de atendimento aos atingidos Brumadinho, Belo Horizonte, Nova Lima e Itabiritos;
  • Doação de R$ 100 mil para cada uma das famílias dos falecidos ou desaparecidos: 269 pagamentos efetuados;
  • Doação de R$ 50 mil para quem residia na Zona de Autossalvamento: 91 pagamentos efetuados;
  • Doação de R$ 15 mil para quem teve negócios impactados (início do cadastramento); 68 pagamentos efetuados;
  • R$ 2,6 milhões repassados à Prefeitura de Brumadinho para a compra de equipamentos emergenciais e para a contratação de profissionais das áreas de saúde e psicossocial, com o objetivo de ampliar a ajuda humanitária do município aos atingidos;
  • R$ 6,5 milhões investidos em equipamentos de ponta para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte;
  • R$ 270 milhões usados para aquisição de medicamentos, de água, equipamentos e outros custos logísticos;
  • Termo assinado com o Governo do Estado de Minas Gerais para apoiar a segurança das comunidades por meio de doações a serem feitas para a Defesa Civil e a Polícia Militar cujo investimento soma R$ 9 milhões;
  • Aporte de R$ 20 milhões para o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), em reconhecimento ao trabalho e heroísmo dos bombeiros militares em Brumadinho.

O apoio financeiro é uma doação

Não se trata de indenização, que será acordada entre as partes em conjunto com as autoridades. A doação pode ser cumulativa, caso a pessoa se enquadre em mais de uma categoria entre as definidas: residência, atividade produtiva rural ou estabelecimento comercial.

Acordos

  • Acordo Preliminar: permite antecipar pagamento de indenizações emergenciais a moradores de Brumadinho e pessoas que vivem próximas do leito do Rio Paraopeba, entre Brumadinho e Pompéu, na represa de Retiro Baixo;
  • Valor das indenizações: um salário mínimo por adulto, 1/2 salário mínimo por adolescente e 1/4 para crianças, a partir de 25 de janeiro, pelo prazo de um ano;
  • Acordo entre a Vale, o Ministério Público Federal, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e caciques da comunidade indígena Pataxó localizada na cidade de São Joaquim de Bicas para pagamentos emergenciais a 150 indígenas de 46 núcleos familiares. Além de apoio à saúde e da disponibilização de consultoria socioeconômica.

Cuidados com animais

  • Duas estruturas de hospital;
  • Fazenda de abrigo de fauna;
  • 468 animais resgatados;
  • 79 peixes resgatados;
  • 190 profissionais, entre veterinários, biólogos e técnicos atuando no resgate à fauna local.

Meio Ambiente

  • 65 pontos de coletas diárias de água e sedimento ao longo rio Paraopeba, reservatório Três Marias e rio São Francisco, além de outros oito rios tributários do Paraopeba;
  • Mais de 79 milhões de litros de água já foram fornecidos para consumo humano, animal e para a irrigação agrícola;
  • Obras de retenção de rejeitos iniciadas. O trabalho será feito em três trechos: 1 - até 10 Km do local do rompimento da Barragem I), 2 – na faixa entre 10km e 30km, até o município de Juatuba e 3 – na faixa de 170 km do rio Paraopeba entre Juatuba e a Usina de Retiro Baixo;
  • Foi iniciada a remoção de rejeitos que bloquearam um trecho da Avenida Alberto Flores e a instalação de uma barreira metálica para impedir que o material volte a cobrir a via.

Barragens

  • 10 barragens a montante, hoje inativas, serão descaracterizadas em até três anos;
  • A descaracterização pressupõe uma intervenção com o objetivo de fazer a estrutura perder por completo as características de barragem, que deixa de se enquadrar na legislação pertinente;
  • A Vale realocou mais de 1.000 pessoas que vivem em Zonas de Autossalvamento (área até 10 quilômetros a jusante das barragens);