Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

Saúde e Segurança Ocupacional

Nossa atuação em Saúde e Segurança fundamenta-se no compromisso com “a vida em primeiro lugar”, um dos nossos valores. Acreditamos que a vida é mais importante que resultados e bens materiais, e incorporamos essa visão nas decisões de negócio.

O rompimento da Barragem I da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, como todo evento catastrófico desta magnitude, produziu uma revisão do modelo de gestão de risco até então praticado na Vale, levando-a a reformular o modelo de gestão de segurança dos processos produtivos, enquanto mantém os avanços conseguidos no campo da segurança ocupacional dos últimos anos.

Nossa Gestão

A fim de dar suporte a sua nova estratégia, a governança da empresa foi revisada com a implantação da diretoria-executiva de segurança e excelência operacional para atuar como segunda linha de defesa independente do gerenciamento de risco operacionais e geotécnicos.

Dentre as diversas atribuições desta nova diretoria-executiva está a de estabelecer políticas e diretrizes técnicas para o gerenciamento de segurança e risco que estão inseridos no Vale Production System (VPS).

O VPS fortalece a cultura organizacional da Vale por meio do desenvolvimento das pessoas, da padronização de melhores práticas, da disciplina operacional e do cumprimento da rotina. É um modelo em constante evolução que se consolida e melhora continuamente na sua abordagem, nos métodos, nas técnicas e nas ferramentas utilizadas de acordo com o aprendizado obtido. Sua aplicação é obrigatória: deve ser adotado globalmente nas áreas operacionais e administrativas.

O Modelo de Gestão Vale, conhecido como VPS (Vale Production System), tem foco em resultados e prevê a implementação profunda e abrangente de políticas e práticas para viabilizar operações seguras e ambientalmente responsáveis e garantir a integridade dos nossos ativos. O VPS é composto por 3 dimensões: Liderança, Técnico e Gestão, que possuem 17 elementos. Cada elemento deste guia apresenta os requisitos mínimos de conformidade.

Saúde, Segurança e Risco Operacional

A obsessão por segurança e gestão de riscos é um dos pilares fundamentais para atingir a cultura de excelência. O objetivo da Vale é zerar, de forma sustentável, o número de fatalidades e de vidas mudadas. Para alcançar esses objetivos foram definidas 2 metas de longo prazo até 2025 e 1 meta para 2020:

Zerar número de lesões registráveis de alto potencial (N2) até 2025

Reduzir em 50% o número exposições aos agentes nocivos à saúde no ambiente de trabalho até 2025

Para 2020 - Prevenção de acidentes catastróficos através da implementação de ações imediatas identificadas no HIRA (Hazard Identification and Risk Analysis).

As estratégias de saúde, segurança e risco operacional da Vale se fundamentam em três pilares:

Ações e programas são periodicamente desenvolvidos no intuito de atingir as metas definidas anteriormente, aperfeiçoando os aspectos comportamentais dos empregados Vale e aprimorando a sua cultura de segurança.

Os processos de gerenciamento da Saúde, Segurança e Risco Operacionais da Vale estão inseridos no Vale Production System (VPS), que estabelece políticas, princípios, critérios e procedimentos para a gestão dos perigos e riscos, bem como para os aspectos e impactos ambientais decorrentes das atividades, produtos e serviços. O VPS é totalmente alinhado aos padrões ISO de gestão de saúde e segurança operacional (SSO) e ambiental e contém requisitos de caráter técnico, gestão e liderança segundo o modelo PDCA, baseado nas etapas Planejamento (Plan) / Execução (Do) / Verificação (Check) e Ação (Act).

Conheça as nossas ações:

Visão de Riscos

O gerenciamento de riscos na Vale tem o objetivo de garantir que os riscos aos funcionários, ao público e ao meio ambiente sejam mitigados e controlados de forma consistente.

A compreensão dos riscos auxilia a planejar, desenvolver e implantar operações estáveis ​​e de baixo risco, favorecendo a alocação de recursos de maneira mais eficaz e contribuindo com operações lucrativas, sem incidentes e de longo prazo.

A avaliação dos riscos associados às operações e atividades da empresa abordam três questões principais em um nível de detalhe compatível com os objetivos da análise:

O que pode dar errado?

O quão ruim pode ser?

Com que frequência pode acontecer?

Com base no nível de compreensão dessas respostas, pode-se decidir quais ações são necessárias para eliminar, reduzir ou controlar os riscos existentes.

HIRA - Mapeamento e Análise de Riscos

HIRA (Hazard Identification and Risk Analysis, na sigla em inglês), que visa a identificação de perigos e análise de riscos, tem como objetivos:

Identificar e analisar com critérios ainda mais rigorosos riscos de segurança operacional com gravidade muito crítica ou amplitude de risco muito alta.

Identificar e definir critérios de desempenho bem como estabelecer a garantia dos controles críticos associados.

O HIRA produz um mapeamento dos chamados MUE's (Material Unwanted Event), ou seja, um Evento Material Indesejado, com consequências significativas, descrevendo os cenários de acidente, as proteções existentes e a criticidade dos riscos para as pessoas, o meio ambiente, os ativos e o nosso negócio.

Permissão de Trabalho Seguro - PTS

Em 2019, 41% das lesões registráveis de alto potencial poderiam ter sido evitadas com a implementação de uma PTS.

Nossas operações têm passado por seguidas ondas de reforço à segurança, sendo a mais recente delas a Permissão do Trabalho Seguro (PTS)​, em vigor desde o dia 1º de maio de 2020.

Esse novo processo operacional de segurança, também chamado de “Contrato pela Vida”, coloca as pessoas no centro de todas as decisões, ao focar na redução de acidentes de alto potencial N2.

Requisitos de Atividades Críticas - RAC

Em 2019, 74% das lesões registráveis de alto potencial estão associadas aos RACs

Os Requisitos de Atividades Críticas são elementos fundamentais do nosso Sistema de Gestão e salvam muitas vidas!

Os RAC são requisitos mínimos de saúde e segurança estabelecidos pela Vale com o propósito de preservar a vida das pessoas durante a execução das atividades classificadas como críticas. Essa categorização é feita com base no histórico de fatalidades e acidentes graves ocorridos na empresa e no setor de mineração como um todo.

Na Vale, as atividades identificadas como de alto risco para a segurança do empregado são:

  • Trabalho em altura;
  • Veículos automotores;
  • Equipamentos móveis;
  • Bloqueio e etiquetagem;
  • Içamento de carga;
  • Espaço confinado;
  • Proteção de máquinas;
  • Estabilidade de solo;
  • Desmonte de rocha – uso de explosivos;
  • Eletricidade;
  • Metal líquido.

Promoção de saúde

Saúde e bem-estar

Reduzir a epidemia de AIDS, malária e doenças tropicais negligenciadas

Reduzir a epidemia de AIDS, malária e doenças tropicais negligenciadas:
assumimos integralmente no Brasil os custos do exame de detecção do vírus da AIDS, se solicitado pelo empregado ao médico do trabalho. Em Moçambique temos uma política de HIV que visa estabelecer princípios para promoção da mudança de comportamento, acesso a métodos de prevenção, e combate ao estigma e discriminação entre os trabalhadores.

Reduzir a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis

Reduzir a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis, via prevenção e tratamento, e promover a saúde mental e o bem-estar: Desenvolvemos ações integradas nos níveis de prevenção primária, secundária e terciária. Estas ações se dão através do programa bem-estar que foca nos pilares: saúde física e mental, compromisso, comportamento e gestão de crônicos. Realizamos globalmente, a depender das necessidades locais, diversas campanhas de vacinação, saúde do homem e da mulher, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, programas de fisioterapia no local de trabalho, acompanhamento de gestantes, reabilitação de afastados, assistência ao empregado, promoção da atividade física, e saúde cardiovascular, relacionados à conscientização sobre riscos associados à obesidade, hipertensão, diabetes e tabagismo. O programa de saúde emocional, “Minas por Mentes”, parte integrante do programa bem-estar, visa a prevenção, promoção e recuperação da saúde emocional.

Reforçar a prevenção e o tratamento da dependência química

Reforçar a prevenção e o tratamento da dependência química relacionada ao uso de substâncias psicoativas, incluindo o abuso de drogas entorpecentes e uso nocivo do álcool: Estabelecemos procedimentos específicos para mitigar os riscos do trabalho sob o efeito de substâncias psicoativas que interfiram na segurança das atividades. Atuamos com ações de educação e informação sobre o abuso destas substâncias e com o suporte ao tratamento de dependências e restabelecimento da vida laboral. Os trabalhadores podem ser convocados a realizar testes toxicológicos seguindo critérios éticos e de randomização com profissionais habilitados. O planejamento dos testes exclui a possibilidade de discriminação e tem objetivo de evitar que o trabalho seja realizado sob efeito de substancias psicoativas, especialmente em casos que possam gerar risco ao indivíduo ou a terceiros.

Reduzir as exposições aos riscos à saúde

Possuímos diretrizes globais para gestão de riscos à saúde envolvendo os temas de Higiene Ocupacional e Ergonomia que tem por objetivo estabelecer requisitos mínimos de gestão desses riscos e uma diretriz corporativa global que tem por objetivo estabelecer direcionamentos para a gestão e elaboração de programas para acompanhamento da saúde ocupacional dos empregados bem como influenciar a gestão de saúde das empresas controladas. Além disso estabelecemos objetivos quantitativos de redução de cenários de riscos à saúde em médio prazo com o objetivo de tornar nossos ambientes de trabalho mais seguros e saudáveis para todos os nossos trabalhadores.

Políticas e Normas

As políticas e normas da Vale definem orientações e princípios para o desenvolvimento do nosso valor “A vida em primeiro lugar”. Este valor é a base para os compromissos e resultados da liderança da Vale, focando o alcance da Excelência em Saúde e Segurança, alinhada com a Política de Sustentabilidade e nosso Código de Conduta.

Diretrizes sobre preparo e resposta a emergências

A Vale aprimorou as políticas e procedimentos atuais para resposta a emergências, desenvolvendo um novo padrão com requisitos específicos para preparação e resposta a emergências com base nas diretrizes do VPS. Esse novo padrão terá interface com outros processos já existentes, como Gerenciamento de Crises e Continuidade de Negócios, com base nos riscos de nossas atividades e operações, ou para minimizar impactos de qualquer natureza.

Os requisitos padrão para preparação e resposta a emergências foram desenvolvidos com base em boas práticas internacionais de engenharia reconhecidas e amplamente aceitas, como as boas práticas em preparação e resposta a emergências pelo ICMM, conscientização e preparação para emergências a nível local - APELL, Public Safety Canada - Guia de Planejamento de Gerenciamento de Emergências e NBR 14276 para definir especificações e qualificação de brigadas de emergência. Todas as unidades de negócios devem atender aos requisitos da diretriz e aos regulamentos aplicáveis pelas leis locais onde nossas unidades de negócios estão localizadas. Os principais pontos deste padrão são:

  • Estabelecer um padrão de gerenciamento de emergências nas unidades de negócios da Vale;
  • Planos e procedimentos de emergência são baseados em cenários relevantes e confiáveis;
  • Estabelecer um nível mínimo de treinamento para todos os indivíduos identificados com papéis, responsabilidades e habilidades nos planos e procedimentos de emergência;
  • Estabelecer programas de treinamento;
  • Estabelecer e manter os recursos necessários para apoiar todos os planos e procedimentos de emergência;
  • As unidades de negócios desenvolvem e mantêm a coordenação entre planos de resposta a emergências, gerenciamento de crises e continuidade de negócios em parceria com autoridades e comunidades locais competentes.

Políticas e Normas - Regra de Ouro

Nossos ambientes de trabalho, por sua natureza, podem eventualmente expor profissionais a riscos à integridade física ou de vida. Por isso, visando a sua melhor prevenção e mitigação, a empresa tem controles implementados, que devem, obrigatoriamente, ser seguidos por todos os seus empregados.

As Regras de Ouro foram estabelecidas visando refletir o Valor da Vale: “A Vida em Primeiro Lugar” e SALVAR VIDAS. São normas de saúde e segurança que os empregados próprios e contratados da Vale devem se comprometer em seguir. As Regras representam requisitos mínimos para a execução de qualquer atividade na Vale e não substituem os demais requisitos de Saúde & Segurança.

Em 2019, a Valeu unificou globalmente as Regras de Ouro com foco cada vez maior na eliminação/redução de fatalidades e HPIs (incidentes de alto potencial) atrelados a fatores comportamentais dos empregados e contratados, estabelecendo disciplina operacional e gestão de conduta.

Iniciativas Voluntárias

É de praxe a realização de iniciativas para a promoção da saúde dos empregados, além do cumprimento dos requisitos legais locais, considerando os temas publicados na agenda global da Organização Mundial da Saúde (OMS). Exemplos: campanhas de vacinação contra gripe, programa de fisioterapia no local de trabalho, programa de assistência ao empregado, campanhas sobre doenças sexualmente transmissíveis, programa para acompanhamento de gestantes, reabilitação de afastados, conscientização sobre saúde do homem e mulher, obesidade, hipertensão, diabetes, tabagismo e saúde mental foram algumas das ações.

Principais iniciativas e programas:


Semana Interna Global da Saúde

Anualmente é realizado evento global com ações para promover conscientização sobre questões ligadas à saúde e à prevenção de doenças para empregados e contratados da Vale. Neste evento são realizadas iniciativas relacionadas ao tema selecionado.

Semana Interna Global de Prevenção de Acidentes (SIPAT)

A SIPAT acontece ao longo de uma semana inteira com o objetivo de reforçar a importância de adotar comportamentos seguros, padronizar processos e aplicar os aprendizados na rotina para evitar a recorrência dos mesmos tipos de incidentes.

Dia da Reflexão

O Dia da Reflexão é uma estratégia de engajamento da Vale, baseada na comunicação direta, por meio da liderança. É um dia em que paralisamos nossas atividades em todo mundo e promovemos uma conversa sobre saúde e segurança com o objetivo de aumentar a conscientização dos profissionais sobre atitudes que repercutem no dia a dia de cada um. Esta campanha é realizada todo ano.

Prevenção de Riscos no Ambiente de Trabalho e Controle Médico de Saúde Ocupacional (OBRIGATÓRIA)

Esse programa envolve checagens periódicas de saúde, treinamentos para prevenção, avaliações de capacidade funcional e movimentações preventivas de suscetíveis. Seguimos também diretrizes globais para gestão de riscos à saúde, englobando os temas de higiene ocupacional e ergonomia.

Covid-19

A Vale está enfrentando tempos desafiadores, trazidos pela pandemia do COVID-19, com responsabilidade, disciplina e senso de urgência. Criamos um plano de resposta a esta crise, com ações que priorizam a saúde e a segurança de nossas pessoas e comunidades em que operamos.

Em todos as suas operações, a Vale adotou padrões de segurança de nível mundial:

  • Adoção de regime de home-office para todos os empregados considerados nos grupos de risco e para os quais a função não requeira presença física;
  • Ajustes aos procedimentos das operações e do transporte de empregados, garantindo o distanciamento social;
  • Acesso às operações somente por equipes essenciais;
  • Suspensão de todas as obras de construções não essenciais;
  • Scan de temperatura corporal nas entradas de sites operacionais;
  • Implementação do checklist diário e monitoramento contínuo de potenciais sintomas;
  • Tecnologia de rastreamento para quarentena dos casos de contato com casos suspeitos;
  • Comunicação interna extensa sobre prevenção de contágio e canais de assistência médica 24 horas por dia e 7 dias por semana;
  • Testagem em massa dos empregados para identificar e rastrear o quadro dos empregados e, com isso,  melhorar o gerenciamento de quarentena.

Além disso, temos triagem nas portarias, com câmeras infravermelhas para que pessoas com febre sejam encaminhadas para tratamento médico. Com relação à proteção, máscaras estão sendo distribuidas para os empregados, terceiros e para os membros da comunidade onde atuamos.

A Vale tem consciência de sua responsabilidade com a sociedade e de seu papel essencial na economia. Deste o início da pandemia, temos buscado meios para contribuir na luta contra o vírus, protegendo empregados e comunidades.

Business Case

A Vale desenvolveu um aplicativo que visa mapear a movimentação dos empregados dentro da unidade, por meio da permissão de localização (GPS). Como resultado, as informações de movimento do empregado serão registradas pelo aplicativo e podem ser cruzadas com os bancos de dados na área de Saúde, permitindo mapear rapidamente se o empregado teve contato com qualquer caso suspeito ou confirmado de COVID-19.

A implementação desta nova ferramenta contribuirá para a não dispersão do vírus e ajudará a empresa a tomar medidas de proteção e até recomendará quarentena quando necessário. Além disso, com o aplicativo, no caso de qualquer situação que coloque em risco a saúde e a segurança de nossos empregados e terceiros, a Vale poderá localizá-los para removê-los rapidamente da área de risco, garantindo sua segurança e vida. primeiro.

Os empregados devem baixar o aplicativo em seus telefones e se registrar usando informações básicas (nome, matrícula e número de documento de identificação). Depois que o empregado realiza o login no aplicativo, a movimentação começa a ser rastreada e nenhuma ação adicional é necessária.

Metas e prazos

As metas associadas aos objetivos estratégicos de saúde, segurança e risco operacional, fazem parte da remuneração variável da empresa e são calculadas conforme as réguas abaixo. Caso alguma operação tenha uma fatalidade os indicadores de segurança e saúde para aquela operação são zerados, perdendo a bonificação destes itens.







Veja abaixo, os resultados obtidos no decorrer do ano de 2020, para a Vale e por diretoria executiva:





Desempenho

A Vale mede e analisa indicadores de Saúde, Segurança e Risco Operacional garantindo o Gerenciamento da Rotina, descrito no elemento 14 do nosso modelo VPS, estabelecido para criar disciplina e garantir que todas as áreas analisem os indicadores continuamente, exponham problemas, alinhem prioridades e tomem as medidas necessárias para atingir resultados.

Adicionalmente, auditorias internas de conformidade corporativas são realizadas, periodicamente, através de auditores independentes junto as operações com base em critérios de risco, definidos a partir da natureza das suas atividades e o nível de maturidade do seu sistema de gestão de SS. Todas as não conformidades identificadas são registradas num sistema informatizado específico para o devido acompanhamento do(s) plano(s) de ação valendo-se de um indicador próprio, e que periodicamente é reportado à alta liderança para as devidas deliberações. No contexto das auditorias, um tema recorrente de avaliação é o da efetividade das barreiras – preventivas e mitigadoras – associadas aos riscos à segurança e saúde dos empregados valendo-se de protocolos específicos de avaliação, e com o intuito de avaliar se os mesmos encontram-se em níveis toleráveis pela empresa.

Reporte de KPIs

Reporte de KPIs e Evolução de Performance

Veja abaixo, nossa pirâmide de lesões e outros incidentes e as informações da nossa taxa de lesões registráveis (TRIFR):


*Os dados de 2020 são de 01/01/2020 até 29/10/2020

Taxa de Frequência de Lesões Ocupacionais com Afastamento (LTIFR):

Quantidade total de lesões ocupacionais contabilizáveis, com afastamento, por milhão de horas de exposição. Considera-se as lesões ocupacionais ocorridas com empregados e terceiros em atividades controladas que resultem em afastamento.


Vale

Vale 2016 2017 2018 2019
Austrália 6,75 0,00 0,00 0,00
Brasil 0,45 0,54 0,42 0,56
Canadá 0,79 0,97 1,39 1,46
Indonésia 0,11 0,15 0,05 0,09
Japão 5,70 0,00 0,00 0,00
Malásia 0,00 1,02 0,96 2,30
Moçambique 0,32 0,22 0,31 0,05
Nova Caledônia 2,95 1,81 5,60 13,32
Omã 0,00 0,72 0,23 0,22
Paraguai 0,00 0,00 1,84 0,00
Peru 0,37 0,39 0,00 0,00
Reino Unido 0,00 2,56 2,30 0,00
Total 0,5 0,55 0,56 0,81
Vale

Austrália

2016
6,75

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
0,45

2017
0,54

2018
0,42

2019
0,56

Canadá

2016
0,79

2017
0,97

2018
1,39

2019
1,46

Indonésia

2016
0,11

2017
0,15

2018
0,05

2019
0,09

Japão

2016
5,70

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Malásia

2016
0,00

2017
1,02

2018
0,96

2019
2,30

Moçambique

2016
0,32

2017
0,22

2018
0,31

2019
0,05

Nova Caledônia

2016
2,95

2017
1,81

2018
5,60

2019
13,32

Omã

2016
0,00

2017
0,72

2018
0,23

2019
0,22

Paraguai

2016
0,00

2017
0,00

2018
1,84

2019
0,00

Peru

2016
0,37

2017
0,39

2018
0,00

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
2,56

2018
2,30

2019
0,00

Total

2016
0,5

2017
0,55

2018
0,56

2019
0,81

Empregados Próprios

Próprio 2016 2017 2018 2019
Austrália 8,61 0,00 0,00 0,00
Brasil 0,52 0,58 0,45 0,57
Canadá 1,18 1,21 1,55 1,56
Indonésia 0,14 0,00 0,15 0,30
Japão 6,61 0,00 0,00 0,00
Malásia 0,00 1,19 1,21 5,65
Moçambique 0,32 0,22 0,31 0,14
Nova Caledônia 2,36 2,11 5,87 17,69
Omã 0,00 0,00 0,00 0,00
Paraguai 0,00 0,00 2,07 0,00
Peru 0,00 0,61 0,00 0,00
Reino Unido 0,00 1,83 3,52 0,00
Total 0,58 0,61 0,65 0,95
Empregados Próprios

Austrália

2016
8,61

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
0,52

2017
0,58

2018
0,45

2019
0,57

Canadá

2016
1,18

2017
0,21

2018
1,55

2019
1,56

Indonésia

2016
0,14

2017
0,00

2018
0,15

2019
0,30

Japão

2016
6,61

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Malásia

2016
0,00

2017
1,19

2018
1,21

2019
5,65

Moçambique

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,17

2019
0,14

Nova Caledônia

2016
2,36

2017
2,11

2018
5,87

2019
17,69

Omã

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Paraguai

2016
0,00

2017
0,00

2018
2,07

2019
0,00

Peru

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,61

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
1,83

2018
3,52

2019
0,00

Total

2016
0,58

2017
0,61

2018
0,65

2019
0,95

Empregados Terceiros

Terceiros 2016 2017 2018 2019
Austrália 3,62 0,00 0,00 0,00
Brasil 0,39 0,49 0,39 0,54
Canadá 0,21 0,61 1,05 1,31
Indonésia 0,09 0,25 0,00 0,00
Japão 0,00 0,00 0,00 0,00
Malásia 0,00 0,89 0,79 0,00
Moçambique 0,51 0,34 0,38 0,00
Nova Caledônia 3,45 1,48 5,28 9,54
Omã 0,00 1,09 0,35 0,33
Paraguai 0,00 0,00 0,00 0,00
Peru 0,56 0,29 0,00 0,00
Reino Unido 0,00 4,25 0,00 0,00
Total 0,42 0,5 0,47 0,67
Terceiros

Austrália

2016
3,62

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
0,39

2017
0,49

2018
0,39

2019
0,54

Canadá

2016
0,21

2017
0,61

2018
1,05

2019
1,31

Indonésia

2016
0,09

2017
0,25

2018
0,00

2019
0,00

Japão

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Malásia

2016
0,00

2017
0,89

2018
0,79

2019
0,00

Moçambique

2016
0,51

2017
0,34

2018
0,38

2019
0,00

Nova Caledônia

2016
3,45

2017
1,48

2018
5,28

2019
9,54

Omã

2016
0,00

2017
1,09

2018
0,35

2019
0,33

Paraguai

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Peru

2016
0,56

2017
0,29

2018
0,00

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
4,25

2018
0,00

2019
0,00

Total

2016
0,42

2017
0,5

2018
0,47

2019
0,67

Soma de TRIFR

Taxa Total de Frequência de Lesões Ocupacionais (TRIFR):
Quantidade total de lesões ocupacionais contabilizáveis por milhão de horas de exposição. Considera-se as lesões ocupacionais ocorridas com empregados e terceiros em atividades controladas que resultem em fatalidade, afastamento, restrição de trabalho ou tratamento médico (não inclui primeiros socorros).


Vale

Vale 2016 2017 2018 2019
Austrália 10,80 0,00 0,00 0,00
Brasil 1,23 1,32 1,39 2,63
Canadá 10,29 11,92 12,71 11,65
Indonésia 1,01 0,92 0,55 0,52
Japão 17,10 0,00 0,00 5,35
Malásia 1,02 1,53 1,44 3,22
Moçambique 1,93 1,70 0,98 0,65
Nova Caledônia 6,83 5,05 9,90 27,88
Omã 1,09 1,68 0,46 1,11
Paraguai 1,44 0,00 3,68 3,36
Peru 0,56 0,97 5,74 0,00
Reino Unido 0,00 6,41 2,30 0,00
Total 1,93 2,02 2,25 3,46
Vale

Austrália

2016
10,80

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
1,23

2017
1,32

2018
1,39

2019
2,63

Canadá

2016
10,29

2017
11,92

2018
12,71

2019
11,65

Indonésia

2016
1,01

2017
0,92

2018
0,55

2019
0,52

Japão

2016
17,10

2017
0,00

2018
0,00

2019
5,35

Malásia

2016
1,02

2017
1,53

2018
1,44

2019
3,22

Moçambique

2016
1,93

2017
1,70

2018
0,98

2019
0,65

Nova Caledônia

2016
6,83

2017
5,05

2018
9,90

2019
27,88

Omã

2016
1,09

2017
1,68

2018
0,46

2019
1,11

Paraguai

2016
1,44

2017
0,00

2018
3,68

2019
3,36

Peru

2016
0,56

2017
0,97

2018
5,74

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
6,41

2018
2,30

2019
0,00

Total

2016
1,93

2017
2,02

2018
2,25

2019
3,46

Empregados Próprios

Próprio 2016 2017 2018 2019
Austrália 12,92 0,00 0,00 0,00
Brasil 1,44 1,35 1,35 2,50
Canadá 12,03 15,50 13,22 14,03
Indonésia 0,57 0,68 0,15 0,45
Japão 19,83 0,00 0,00 0,00
Malásia 1,24 1,19 1,21 7,90
Moçambique 0,74 0,84 0,52 0,87
Nova Caledônia 5,40 3,87 7,95 31,38
Omã 0,00 0,00 0,00 0,00
Paraguai 1,62 0,00 4,14 3,75
Peru 0,00 1,21 0,00 0,00
Reino Unido 0,00 5,50 3,52 0,00
Total 2,32 2,38 2,47 3,05
Empregados Próprios

Austrália

2016
12,92

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
1,44

2017
1,35

2018
1,35

2019
2,50

Canadá

2016
12,03

2017
15,50

2018
13,22

2019
14,03

Indonésia

2016
0,57

2017
0,68

2018
0,15

2019
0,45

Japão

2016
19,83

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Malásia

2016
1,24

2017
1,19

2018
1,21

2019
7,90

Moçambique

2016
0,74

2017
0,84

2018
0,52

2019
0,87

Nova Caledônia

2016
5,40

2017
3,87

2018
7,95

2019
31,38

Omã

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Paraguai

2016
1,62

2017
0,00

2018
4,14

2019
3,75

Peru

2016
0,00

2017
1,21

2018
0,00

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
5,50

2018
3,52

2019
0,00

Total

2016
2,32

2017
2,38

2018
2,47

2019
3,05

Empregados Terceiros

Terceiros 2016 2017 2018 2019
Austrália 7,24 0,00 0,00 0,00
Brasil 1,04 1,28 1,43 2,78
Canadá 7,66 6,55 11,69 8,00
Indonésia 1,30 1,06 0,76 0,55
Japão 0,00 0,00 0,00 47,89
Malásia 0,86 1,78 1,59 0,00
Moçambique 2,61 2,17 1,23 0,55
Nova Caledônia 8,06 6,31 12,19 24,85
Omã 1,79 2,55 0,71 1,66
Paraguai 0,00 0,00 0,00 0,00
Peru 0,84 0,86 9,58 0,00
Reino Unido 0,00 8,50 0,00 0,00
Total 1,58 1,67 2,02 2,34
Empregados Terceiros

Austrália

2016
7,24

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Brasil

2016
1,04

2017
1,28

2018
1,43

2019
2,78

Canadá

2016
7,66

2017
6,55

2018
11,69

2019
8,00

Indonésia

2016
1,30

2017
0,06

2018
0,76

2019
0,55

Japão

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
47,89

Malásia

2016
0,86

2017
1,78

2018
1,59

2019
0,00

Moçambique

2016
2,61

2017
2,17

2018
1,23

2019
0,55

Nova Caledônia

2016
8,06

2017
6,31

2018
12,19

2019
24,85

Omã

2016
1,79

2017
2,55

2018
0,71

2019
1,66

Paraguai

2016
0,00

2017
0,00

2018
0,00

2019
0,00

Peru

2016
0,84

2017
0,86

2018
9,58

2019
0,00

Reino Unido

2016
0,00

2017
8,50

2018
0,00

2019
0,00

Total

2016
1,58

2017
1,67

2018
2,02

2019
2,34

Desempenho por diretoria


Estudo de Caso

Prevenção de Incapacidade

Como forma de trabalhar ativamente na prevenção de incapacidades para os empregados Vale, foram estabelecidas globalmente diretrizes para auxiliar este trabalho.Nesta diretriz, incapacidade é entendida na perspectiva biopsicossocial, ou seja, foca na relação entre o adoecimento e a capacidade para do trabalho considerando o contexto específico de cada empregado e as condições de risco individuais e coletivas. Com esta premissa, a atenção à prevenção do adoecimento se expande para a busca de soluções no trabalho que favoreçam a melhor adaptação das capacidades individuais, aspectos psicossociais e as condições de trabalho. O objetivo é a redução do absenteísmo e favorecer o trabalho saudável e produtivo. 

Para isto é feito um acompanhamento dos fatores de risco coletivos em uma abordagem primária, dos empregados com risco de afastamento em uma abordagem secundária, e dos empregados afastados do trabalho ou em processo de retorno ao trabalho em uma abordagem terciária que possibilitam melhor acomodação ao trabalho e a recuperação da capacidade laboral. 

A tendência das principais causas de afastamento no Brasil e no mundo são distúrbios osteomusculares e transtornos mentais. É importante entender que estas condições de saúde, mesmo quando não estão diretamente relacionados ao trabalho, podem gerar afastamentos prolongados e barreiras no retorno ou na permanência do empregado na vida produtiva. Por isto, gestão e acompanhamento, bem como abordagem multidisciplinar envolvendo equipe de saúde, RH e gestores, se tornaram cruciais diante dos novos desafios.

A diretriz de prevenção de incapacidade, formaliza e institui comitês multidisciplinares, define papeis e responsabilidades das diversas partes envolvidas, e adota indicadores comuns de gestão. Junto com ferramentas, tecnologia e processos, espera-se reduzir os afastamentos, principalmente os relacionados aos distúrbios osteomusculares e transtornos mentais e comportamentais.

Leia também

Nossas Pessoas

Nossas Pessoas

Como a Vale recicla e destina apropriadamente os resíduos gerados na extração de minérios

Leia mais
Imagem Biodiversidade

Brumadinho

Acompanhe o avanço da reparação

Leia mais