Conheça mais sobre a história de Carajás, a maior mina de minério de ferro do mundo
Comando para Ignorar Faixa de Opções Ir para o conteúdo principal

Conheça mais sobre a história de Carajás, a maior mina de minério de ferro do mundo

10/08/2018 08:00
​​​

Carajás, a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, completou 51 anos de descoberta no dia 31 de julho de 2018. Foi neste dia, em 1967, que o helicóptero onde estava o geólogo Breno Augusto dos Santos fez um pouso de abastecimento em uma clareira da Serra Arqueada, no sudeste do Pará. A ideia inicial era procurar manganês, mas o que foi encontrado mudou a história da Vale e também do Brasil, e colocou o país no mapa da mineração mundial.

O geólogo desceu para examinar algumas rochas do local: "Quando bati o martelo, saiu um negócio avermelhado e vi que não era manganês, era ferro. Pensei 'caramba, isso tudo aqui é ferro'". Breno era chefe de equipe de geólogos da US Steel, siderúrgica norte-americana, que na época procurava manganês na Amazônia para abastecer suas usinas nos Estados Unidos. A equipe era formada também pelos geólogos Erasto de Almeida e João Ritter.


A partir desta descoberta começaram as pesquisas minerais na região que hoje é a maior produtora de minério de ferro de alta qualidade do mundo. Para se ter uma ideia da dimensão da Serra dos Carajás, na época da descoberta, a Vale já era uma das maiores empresas do Brasil, produzindo quase 11 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Atualmente, somente o Complexo de Carajás produz cerca de 150 milhões de toneladas anuais. "O minério de Carajás foi ocupando um espaço importante no mercado mundial, dada a sua qualidade, que possibilita a blendagem (mistura) com outros minérios mais pobres e também a redução da emissão de poluentes na indústria siderúrgica", explica Antonio Padovezi, diretor de Ferrosos Norte da Vale.

Desde que a Vale iniciou suas atividades na região, a empresa ajuda a proteger um conjunto de cinco Unidades de Conservação em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). As operações da empresa ocupam menos de 2% dos cerca de 7.862 km2 que formam esse conjunto.

Sobre o Núcleo Urbano de Carajás

Localizado na Floresta Nacional de Carajás, o Núcleo Urbano de Carajás fica a 17 km das minas e a 25 km de Parauapebas. Com uma área de aproximadamente 306 hectares totalmente cercada, hoje, seis mil habitantes ocupam os 1.346 imóveis residenciais e 70 imóveis comerciais.

As obras do Núcleo foram iniciadas em 1984 e, em 1986, chegaram os primeiros moradores. Toda a estrutura foi construída para receber os empregados que vieram trabalhar na implantação do projeto Carajás.

​​
​​​