Relatório de Sustentabilidade
Comando para Ignorar Faixa de Opções Ir para o conteúdo principal
Relatório de Sustentabilidade

2016

Relatório de Sustentabilidade

10

ANOS
Visão de
Negócios
Saúde e
Segurança
Desenvolvimento
Local
Fortalecimento
Social
Responsabilidade
Ambiental

Atuação
Global

Este relatório é um marco para Vale. Completando dez anos da publicação, mantemos o objetivo de expor aos stakeholders as conquistas e dificuldades, os desafios e avanços da nossa empresa, nas dimensões econômica, social e ambiental, numa demonstração de transparência e compromisso com a prestação de contas à sociedade.

Para ressaltar esse décimo relatório, elaboramos uma matéria especial com as principais notícias e eventos que aconteceram nos últimos 10 anos da Vale e chamamos de “Trajetória 10 anos”

Mantendo a tradição de reportar o nosso desempenho à sociedade lançamos o nosso Relatório Anual de Sustentabilidade referente à 2016, elaborado de acordo com as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) e adota, a versão G4, na opção Abrangente.

Acesse aqui nossa Política Global de Sustentabilidade

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF
Clique Aqui

Visão de
Negócio

2016 foi marcado por recordes de produção

348,8 Mt

Fe

Minério de Ferro

  • Recorde em
    Carajás

311.000 t

Ni

Níquel

  • Recorde na
    Nova Caledônia

453.000 t

Cu

Cobre

  • Recorde em
    Salobo

US$12,2

bilhões

Geração de caixa operacional, medida pelo EBITDA ajustado, o que representa 72% mais do que os US$ 7,1 bilhões de 2015, principalmente por conta dos melhores resultados do EBITDA de:

Minerais
Ferrosos

US$ 10,5
bilhões

Minerais
Básicos

US$ 1,8
bilhões

US$4,0
bilhões

Lucro líquido obtido no ano.

US$5,5
bilhões

Soma dos investimentos direcionados
ao crescimento e à manutenção.

Movimento pela
Integridade

Dissemina a importância do valor "Agir de forma correta" e passou a fazer parte do calendário anual da empresa como um evento de reflexão sobre ética e integridade.

CASE

Complexo S11D
Competitividade com
segurança

Empilhadeira no Complexo S11D, Pará

Inaugurado em dezembro de 2016, o Complexo S11D tem a missão de ampliar a competitividade da Vale e contribuir para que o Brasil se consolide como um dos maiores produtores de minério de ferro do mundo. Seu desafio comercial frente ao mercado global da mineração é proporcionar custo baixo, alta qualidade, tecnologia de ponta e flexibilidade para atender sob medida as necessidades dos clientes. O empreendimento conta com equipamentos e soluções inéditas, fundamentais para a elevação da produção total de minério de ferro da empresa no Pará para 230 milhões de toneladas métricas anuais em 2020 – cerca de 55% superior ao volume de 2016 –, marca que conferirá posição vantajosa no próximo ciclo de forte demanda por minério de ferro. Outro ganho, decorrente do processo de lavra contínua, é a maior flexibilidade da operação, capaz de se ajustar à demanda dos clientes. O alto teor de ferro contribuirá para a produção do minério de ferro nas especificações visadas. O projeto, além disso, contribuirá para a redução do custo operacional do Sistema Norte – desde a extração na mina até a entrega no porto, no Maranhão.
Entre as soluções inteligentes adotadas está o sistema truckless, reduzindo o uso de combustível, que gera emissões ao meio ambiente. Uma estrutura composta de escavadeiras e britadores móveis substituirá os cem veículos que seriam necessários para extrair o minério de ferro. A estrutura alimentará cerca de 30 quilômetros de correias transportadoras e, além de baixar a quantidade de detritos, como pneus, filtros e lubrificantes, buscando reduzir em 70% o consumo de diesel. A substituição dos caminhões fora de estrada pelo sistema truckless busca uma operação mais segura visando reduzir o número de empregados envolvidos diretamente na operação.

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF

Saúde e
Segurança

1,9

Taxa total de lesões em 2016, que aponta queda em relação à do período anterior, de 2,2

Boas práticas

No ano, 120 iniciativas foram certificadas como Boas Práticas de Saúde e Segurança, o que significa que foram testadas e comprovadamente contribuíram para a redução de riscos e consequentemente, um ambiente mais seguro.

Respeito à vida

“A vida em primeiro lugar” permeia a atuação da Vale, que se empenha em alcançar Zero Dano investindo em prevenção, padronização de processos, gestão de riscos e na cultura do Cuidado Ativo Genuíno – que engloba cuidar de si, cuidar do outro e deixar que os outros cuidem de você.

US$2,7
milhões

Foram investidos em campanhas, programas e iniciativas de Saúde envolvendo empregados próprios e terceiros em 14 países, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), - incluindo o terceiro: ‘Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades’.

CASE

Ferrosos Sul
Operação mais segura
e sustentável

A transposição de cabos elétricos das escavadeiras de grande porte está mais segura no Complexo Vargem Grande em Minas Gerais, Brasil, graças ao projeto Passadiço Ecológico para Cabo Elétrico – PEC, solução prática e sustentável para reduzir a exposição do empregado a riscos. No novo sistema, construído com pneus descartados dos equipamentos fora de estrada, os passadiços substituem as torres de elevação, utilizadas anteriormente.
Após a aplicação do projeto na Mina Abóboras, vários benefícios foram constatados, como:

  • Redução em 62% dos riscos médio e baixo do serviço;
  • Redução de certos riscos ergonômicos;
  • Melhoria da satisfação dos empregados;
  • Diminuição do tempo de duração da atividade;
  • Redução de sucatas de pneu para descarte;
  • Redução de despesas.

Por essas vantagens, está em andamento a aplicação do projeto na Mina de Capitão do Mato. A ideia é estendê-lo a todas as demais áreas da Vale que realizem movimentação de cabos elétricos.

Empregados na Mina Capitão do Mato

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF

Desenvolvimento
Local

US$16
milhões

Valor destinado à Fundação Vale em 2016, do quais 42% foram aportados diretamente pelas áreas operacionais.

70%

Índice de contratação local em 2016. Considerando apenas membros da alta gerência provenientes da comunidade local, o indicador foi de 43%.

1,9
mil

Total de quilômetros de malha ferroviária operado pela Vale, o que equivale a 6,3% do total instalado do País, por meio da Estrada de Ferro Carajás (EFC), com 997 quilômetros de extensão, e da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), com 905 quilômetros.

Desmobilização de ativos

No período, a Vale desenvolveu 21 ações de desmobilização progressiva de ativos, nos quais foram aplicados cerca de U$ 15,1 milhões em obras de recuperação definitiva de áreas degradadas, projetos e ações de descomissionamento de instalações industriais.

CASE

Projeto Novo Rumo
Avanço da agricultura
familiar

Agricultura familiar em Brumadinho

Após diagnóstico que apontou a vulnerabilidade da comunidade de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG, Brasil), a Vale empenhou-se em intensificar a agricultura familiar na região, considerando como premissa o desenvolvimento sustentável. A partir de reuniões com a Associação Comunitária e instituições locais, como Inhotim e Minerações Itabirito, além da Prefeitura Municipal, iniciou, em 2014, a atuação integrada que resultou no Projeto Novo Rumo. Ele nasceu com o objetivo de fomentar os agricultores locais para ampliação e diversificação da geração de renda por meio do aprimoramento e da ampliação do cultivo hortaliças, frutas, verduras, produtos processados e artesanato.
Para isso, nas áreas ociosas que a Companhia mantinha na região foram construídos uma horta e um Salão Comunitário – com cozinha equipada para a produção coletiva de compotas, doces, pães e geleias –, além de instalados trilha interpretativa e jardim sensorial, onde são desenvolvidas ações de educação ambiental. Foram ainda promovidos cursos para formação de lideranças e de Agrofloresta e realizadas feiras da agricultura familiar e artesanatos regionais.
Dois anos de trabalho compartilhado têm rendido bons frutos: a maioria dos agricultores mudou a forma de plantio, adotando técnicas e métodos da Agrofloresta, e a produção aumentou significativamente graças ao apoio técnico que incluiu mapeamento do mercado consumidor. Assim, os produtores passaram a destinar seus produtos a pousadas e restaurantes da região, além de promoverem feiras de orgânicos na própria comunidade.

Os ganhos também se estendem ao meio ambiente. A construção do Salão Comunitário com tijolos de Adobe (terra extraído do local da obra), reaproveitamento de utensílios do Centro de Materiais Descartados Vale e mecanismo de reutilização de água de chuva e sistema de tratamento da água negra por filtros naturais envolveu a comunidade na discussão sobre utilização de matérias-primas locais e reutilização de materiais.
A adoção da metodologia de Sistemas Agroflorestais (consórcios de culturas agrícolas com espécies arbóreas que podem ser utilizados para restaurar florestas e recuperar áreas degradadas) ainda ameniza limitações do terreno, minimiza riscos de degradação e amplia a produtividade. Há também redução da perda de fertilidade do solo e do ataque de pragas e a possibilidade de plantio de espécies mais exigentes, em virtude da ciclagem de nutrientes decorrente da maior disponibilidade de biomassa.
O trabalho reforçou alguns compromissos da Política de Sustentabilidade da Empresa, como:

  • Apoio ao fortalecimento social;
  • Desenvolvimento socioeconômico das regiões onde opera;
  • Ações empresariais voluntárias;
  • Legado social, econômico e ambiental positivo nos territórios onde opera;
  • Catalisador do Desenvolvimento Local com respeito à cultura local; e
  • Respeito aos aspectos culturais dos territórios, priorizando as comunidades em situação de vulnerabilidade e impactadas diretamente pelas operações e projetos da Vale, sempre considerando as políticas públicas vigentes.

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF

Fortalecimento
Social

Valorização de todas as diferenças

Campanha de comunicação interna e externa para reforçar o posicionamento global da Empresa sobre diversidade e sensibilizar os empregados para a importância da inclusão. O evento abordou dimensões de raça, gênero, deficiência, orientação sexual, geração, nacionalidade e regionalismo, mobilizando toda a empresa no Brasil.

3,3
milhões

Horas dedicadas à capacitação
dos profissionais.

139,7
mil

Número de empregados,
próprios e terceirizados,
mantidos pela Vale ao fim de 2016.

97,4%

Percentual de empregados com
desempenho avaliado no ano

Direitos humanos

Em 2016, a Vale tornou-se membro do Voluntary Principles on Security and Human Rights, iniciativa que orienta empresas e governos sobre o respeito aos direitos humanos nas atividades de segurança.

Comunidades
Tradicionais

36

Povos
Indígenas

27

... se relacionam com a Vale. Das primeiras, 35 no Brasil e uma na Malásia. Já os Povos indígenas estão distribuídos em 12 no Brasil e 15 no exterior: Canadá, Austrália, Indonésia e Nova Caledônia.

CASE

Vale Fertilizantes S.A.
Barragens sob controle

Numa demonstração de transparência e genuína preocupação com questões ligadas à segurança, a Vale Fertilizantes estruturou KPI (sigla em inglês para Key Performance Indicator, ou Indicadores-Chave de Desempenho) para ampliar o diálogo sobre o tema, envolvendo principalmente as comunidades vizinhas e órgão de segurança pública. A medida, motivada pelo crescimento da demanda por esclarecimento em relação à segurança das barragens de mineração também impulsionou o movimento interno de revisão de análises de riscos e planos de emergência, em busca de melhoria contínua do processo.
O processo de implantação do projeto incluiu:

  • Identificação, nas operações da Vale Fertilizantes, das estruturas que, no caso de acidente de rompimento, vazamento ou transbordo, podem apresentar risco de perdas materiais significativos ou de vidas;
  • Mapeamento das comunidades que podem ser potencialmente afetadas por problemas em cada uma das estruturas identificadas;
  • Levantamento das necessidades de participação e capacidades de atendimento dos órgãos pertinentes locais;
  • Atualização das ações dos Planos de Ações Emergenciais;
  • Articulação com Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e/ou Polícia Ambiental da região das ações necessárias para efetivação dos planos;
  • Operacionalização dos Planos de Ações Emergenciais com cada uma das comunidades potencialmente afetadas

Todo esse trabalho marcou o início de diálogo contínuo que a empresa pretende manter com comunidades e órgãos de segurança sobre o tema barragens. Em 2016 já houve aproximação e esclarecimento de dúvidas. A expectativa é que as comunidades envolvidas (de Araxá, Tapira, Uberaba e Patos de Minas – MG; Catalão – GO; Cajati e Cubatão – SP; Rosário do Catete, Maruim, Santo Amaro das Brotas e Barra dos Coqueiros – SE) mantenham-se cada vez mais bem informadas e preparadas para proceder em um eventual acidente com barragens.

Vista aérea da unidade
da Vale Fertilizantes

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF

Responsabilidade
Ambiental

1.824
espécies...

...vegetais e 1.443 espécies animais foram identificadas nas áreas operacionais da Vale. Delas, cerca de 3,1% integram a Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês) e 1,4% constam de listas nacionais oficiais de espécies ameaçadas de extinção do Ministério do Meio Ambiente.

8,2
mil

Número de quilômetros quadrados de áreas naturais protegidas pela Vale, o que representa aproximadamente 5 vezes a soma das áreas das unidades operacionais.

Destinação sustentável de resíduos

A Empresa mantém programa de destinação sustentável que contempla compostagem, reúso, rerrefino e reciclagem, valorizando o aproveitamento e procurando reduzir o descarte em aterros. Encaminhou 157,5 toneladas de resíduos em 2016 para as cooperativas de recicláveis em Minas Gerais, Brasil.

US$169
milhões

Montante investido em iniciativas para o aperfeiçoamento de processos e adoção de tecnologias e sistemas de controle de emissões atmosféricas. O valor é 28% superior ao aplicado em 2015.

CASE

Economia
nos portos da Vale

Carregamento do Valemax no Complexo Portuário de Tubarão

Alinhado à ideia de uso racional de recursos naturais e redução de custos, o projeto de engenharia desenvolvido pela Vale nos portos de Tubarão, Ilha Guaíba (TIG) e Ponta da Madeira proporcionará economia anual de US$ 429,8 milhões em energia elétrica. Ele permite o desligamento automático de um motor após operar durante um tempo abaixo de uma corrente pré-determinada.
Com o início do estudo e desenvolvimento em 2014, o sistema foi instalado como piloto em Tubarão e Ponta da Madeira e de forma definitiva em alguns transportadores. Em 2015, estendido a cinco transportadores de correias no terminal de Ilha Guaíba, totalizou 45 aplicações e não apenas reduziu o uso de energia no porto como garantiu um novo patamar de consumo específico (kWh/ton.), fundamental para sustentar os desafios das metas de Custo e Eficiência Energética nos portos da Vale.
O projeto foi desenvolvido e implantado com recursos internos da engenharia de portos e manutenção local, sem a necessidade de contratos ou empresas externas. Esse é um diferencial importante porque, além de ser mais simples e funcional, garante que a empresa tenha pessoal capacitado para manter, atualizar e aperfeiçoar o sistema no futuro.

Download do Relatório em formato PDF

Navegue pela página e conheça os principais números
do relatório ou faça download do relatório em formato PDF

Trajetória

10 anos de Relatório
de Sustentabilidade da Vale

2007

Nasce o primeiro Relatório de Sustentabilidade da Vale

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2007

Nasce o primeiro Relatório de Sustentabilidade da Vale

Na publicação, então GRI G3, com nível de aplicação B+, a Vale procurou retratar o estado de suas práticas de gestão e desempenho. O compromisso da empresa sempre foi buscar o aprimoramento contínuo, utilizando o diagnóstico realizado como base para a definição de políticas necessárias, planos de ação e metas, promovendo uma nova transformação rumo à excelência em sustentabilidade.

Mudança da marca

Em 2007, a Vale assumiu o nome pelo qual ja era conhecida popularmente. A Companhia Vale do Rio Doce passou a se chamar simplesmente Vale. Era o fim das diferentes marcas para as suas diversas áreas. A fácil leitura visual reforçava ainda a imagem da Vale como uma empresa global.

Pacto Global da ONU

A Vale se tornou signatária do Pacto Global da Organização das Nações Unidas, um programa de dez princípios nas áreas de meio ambiente, direitos humanos e combate à corrupção.

2008

Reconhecida pela Unesco

2008

Reconhecida pela Unesco

A Reserva Natural Vale foi reconhecida pela Unesco como Sítio do Patrimônio Natural Mundial da Costa do Descobrimento e Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Localizada no Espírito Santo, com 22 mil hectares, a reserva é um verdadeiro laboratório a céu aberto. Cientistas de diversas especialidades e pesquisadores estudam a complexidade desse bioma brasileiro e trabalham pela conservação e multiplicação de sua diversidade. Os focos dos estudos são o uso sustentável e a conservação dos recursos naturais e a criação de tecnologia para recuperação de áreas degradadas, no Brasil e no mundo.

Gestão de Emissões

Em 2008, a Vale tornou-se a única empresa da América Latina listada no Carbon Disclosure Leadership Index e também a mineradora com a melhor avaliação no indicador que mede as emissões de GEE por receita bruta. Esse reconhecimento e resultado de diversas ações empreendidas nos anos anteriores, especialmente a implementação de sua política de Mudanças Climáticas, que engloba o Programa Carbono Vale.

2009

Atuação além das operações

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2009

Atuação além das operações

O Fundo Vale para o Desenvolvimento Sustentável, instituição sem fins lucrativos foi criado pela Vale com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável, conciliando a preservação e a conservação do meio ambiente com a melhoria das condições socioeconômicas em países em desenvolvimento.
Sua atuação nas questões centrais de sustentabilidade se dá pelo apoio a programas transformadores que busquem soluções para combater o desmatamento e a degradação florestal, além de garantir o desenvolvimento socioeconômico das populações, proporcionando melhorias na infraestrutura física e institucional.
Por meio de parcerias estabelecidas com ONGs, o Fundo Vale trabalha em projetos direcionados a três principais temas: Monitoramento Estratégico da Amazônia Legal, Consolidação e Criação de Áreas Protegidas, e Promoção de Municípios Verdes.

ITV

Neste ano foi criado o Instituto Tecnológico Vale, que tem como objetivo coordenar as ações de ciência e tecnologia, com ênfase em pesquisas de longo prazo desenvolvidas em parceria com comunidades científicas em âmbito nacional e internacional.

2010

Compromisso firmado

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2010

Compromisso firmado

O Plano de Ação em Sustentabilidade (PAS) tem como objetivo estabelecer metas e ações de melhoria de desempenho relacionados à sustentabilidade em temas como insumos combustíveis, consumo e recirculação de água, geração e destinação de resíduos, fechamento de mina, desenvolvimento local e recursos humanos.
Em 2010, a empresa incluiu as metas do PAS como um dos critérios para Remuneração Variável de algumas das suas operações brasileiros como minério de ferro, pelotização, logística, manganês, cobre e potássio. Essa ação reafirmou o compromisso das áreas com a melhoria permanente dos resultados e com o avanço da gestão da sustentabilidade na Vale.

Grande exportadora brasileira

A Vale teve um grande salto comercial em 2010 medido pelo volume de suas exportações. No período, a empresa, sozinha, exportou cerca de US$ 29 bilhões líquidos, resultado da soma das exportações da mineradora descontado o agregado de suas importações. Apesar de 2010 ter sido um ano recorde, a importância da Vale como grande exportadora nacional se confirmaria ao longo de toda a década.

2011

Equidade de Gêneros

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2011

Equidade de Gêneros

O compromisso assumido foi de reduzir em 5% as emissões de Gases do Efeito Estufa projetadas para 2020 e influenciar a cadeia de valor para que siga o mesmo caminho, investindo em fontes renováveis de energia, ciência energética e inovação tecnológica.

Com o objetivo de colaborar para diminuir as diferenças históricas e culturais em relação às mulheres no mercado de trabalho, a Vale criou o Projeto de Equidade de Gênero, em que uma das principais propostas é reconhecer e promover o talento feminino.

Primeiro carvão segue viagem

O primeiro produto da mina de Moatize deixou Moçambique em 14 de setembro de 2011 a bordo do navio Orion Express em direção ao Líbano. Foram 35 mil toneladas de carvão térmico, que percorreram os 575 quilômetros de extensão da linha Sena-Beira, que liga Moatize ao Porto da Beira, em Sofala, região central de Moçambique. A linha estava interrompida há 28 anos devido à guerra civil. As atividades na mina começaram em maio de 2011 e sua implantação contribuiu para dinamizar a economia moçambicana, gerando emprego e renda.

2012

Trajetória de 70 anos

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2012

Trajetória de 70 anos

Em 2012, a Vale completou 70 anos de história. A empresa, cujo objetivo inicial era produzir 1,5 milhão de toneladas de minério de ferro, ultrapassou, pouco antes de seu aniversário, em 2012, a marca de 5 bilhões de toneladas de minério de ferro produzidos, o que daria para sustentar mais de dois anos de produção siderúrgica no mundo ao ritmo de 1,5 bilhão de toneladas de aço bruto.
A mineradora nascida na pequena cidade de Itabira, em Minas Gerais, cresceu, avançou com as suas operações pelo mundo, acumulou experiência e apostou em novos desafios para encarar o futuro de frente.

Omã

A Vale inaugurou uma usina de pelotização e um centro de distribuição no Complexo Industrial do Porto de Sohar, em Omã.

Meta Carbono

O compromisso assumido foi de reduzir em 5% as emissões de Gases do Efeito Estufa para 2020.

2013

Conexão Vale-China

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2013

Conexão Vale-China

Vale comemorou 40 anos do primeiro embarque de minério de ferro para a China e uma parceria de longo prazo com os clientes asiáticos
Foi em julho de 1973, que a Vale realizou a sua primeira venda de minério de ferro para o país. Foram dois embarques naquele ano, totalizando 46 mil toneladas. Os carregamentos partiram do Cais do Atalaia, em Vitória (ES), com destino ao porto de Tianjin.

Mais moderno, seguro e eficiente

O Porto de Tubarão, em Vitória (ES), investiu quase R$ 2 bilhões para se preparar para os desafios do futuro. O trabalho incluiu dois grandes projetos: a modernização do sistema elétrico e a troca de máquinas de pátio por outras mais modernas e eficientes. O objetivo foi aumentar a segurança e eficiência energética e operacional do porto sem a necessidade da expansão física.

2014

Lá vem o trem

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2014

Lá vem o trem

O ano de 2014 começou com muitas novidades para os usuários do Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas. Com investimento de US$ 80,2 milhões, a Vale renovou a frota de vagões que diariamente faziam o transporte entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Ao todo foram 56 novos carros, sendo dez para atender à classe executiva e 30 para a classe econômica, além de vagões para servir como restaurante, lanchonete, gerador e carros adaptados para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção.

Dia de Reflexão

Com a primeira edição em 2011, no ano de 2014, cerca de 150 mil empregados e contratados se mobilizaram no Dia de Reflexão de Saúde e Segurança para lembrar as fatalidades e intensificar os esforços coletivos para o alcance do dano zero.

2015

Primeira Biofábrica

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2015

Primeira Biofábrica

A Vale instalou a primeira biofábrica focada na preservação da biodiversidade vegetal, dedicada inicialmente à reprodução de orquídeas, bromélias, cactáceas, gramíneas e árvores nativas do Quadrilátero Ferrífero. Estão em desenvolvimento 600 mil mudas de 63 diferentes espécies.

Rompimento da barragem da Samarco

O dia 5 de novembro de 2015 entrou para a história da mineração como um triste marco. O rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, em Mariana (MG), da qual a Vale e acionista juntamente com a BHP Billiton, resultou em 18 mortes, além de uma pessoa ainda desaparecida, e desabrigou várias famílias. Desde o primeiro momento, a Vale se empenhou em apoiar a Samarco no atendimento às pessoas afetadas e em todos os esforços necessários para minimizar os impactos ao meio ambiente. A empresa disponibilizou recursos humanos e materiais, como helicóptero e equipamentos emergenciais, para auxiliar nos trabalhos de resgate, distribuição de água e remoção dos locais de risco dos desabrigados pelo acidente.

Novos caminhos para a mineração

Entra em operação o maior projeto de minério de ferro da história da Vale e o maior investimento privado no Brasil nesta década: o Complexo S11D Eliezer Batista. S11D é estratégica para a empresa conseguir aumentar a sua competitividade e manter a liderança no mercado global de minério de ferro. O empreendimento, que carrega tecnologias de ponta em sua operação, foi cuidadosamente planejado para alcançar a excelência operacional, sem perder de vista o respeito às comunidades e ao meio ambiente.

2016

Ponta da Madeira, o maior porto do mundo

Legenda
Lorem ipsum dolor sit amet
2016

Ponta da Madeira, o maior porto do mundo

Com 30 anos de operação, o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira tem sua história marcada pela evolução graças ao comprometimento e a dedicação dos empregados. Líder no ranking de movimentação de carga no Brasil, o terminal passa por obras de ampliação de capacidade para atender ao aumento de produção decorrente do projeto S11D, que o transformara no maior porto do mundo.

Novos caminhos para a mineração

Entra em operação o maior projeto de minério de ferro da história da Vale e o maior investimento privado no Brasil nesta década: o Complexo S11D Eliezer Batista. S11D é estratégica para a empresa conseguir aumentar a sua competitividade e manter a liderança no mercado global de minério de ferro. O empreendimento, que carrega tecnologias de ponta em sua operação, foi cuidadosamente planejado para alcançar a excelência operacional, sem perder de vista o respeito às comunidades e ao meio ambiente.

"A Vale está confiante de que segue o caminho certo, permanecendo firme na trajetória rumo a sustentabilidade."