Gestão da água nas operações

Gestão Ambiental

Gestão da água nas operações

​​

Para manter o compromisso com a gestão dos recursos hídricos, a Vale investe em tecnologias que reduzem a procura e a captação de água nas suas operações. Actualmente, em Moçambique, a empresa reaproveita mais de 80% da água usada nos seus processos produtivos.

Gestão de água na Mina de Carvão Moatize

A água que usamos nas nossas actividades na mina é captada no rio Revúbuè, em Tete, de onde é bombeada e direccionada para os reservatórios de água bruta e recuperada na planta de tratamento de água. Além de ser usada nos trabalhos da Planta de Processamento de Carvão (CPP), a água é canalizada para consumo humano e para combate a incêndios. No fim do processo, a água é recuperada e reenviada para uso na CPP.

Estação de tratamento de águas industriais

Localizada no pátio de carvão do Porto da Beira, implantado pela Vale, a estação de tratamento de águas industriais é composta por um conjunto de equipamentos e processos que permitem a remoção de impurezas e a adequação da água para uso industrial e para garantir que os efluentes industriais não sejam drenados de volta ao meio ambiente.

Separador de água e óleos

Composto por equipamentos que permitem separar os óleos da água, este sistema garante que os efluentes oleosos, libertados pela operação portuária e manutenção ferroviária, não contaminem o meio ambiente. O processo é feito de forma gravitacional e de exclusão química levando à separação da água e do óleo.

Monitorização da qualidade da água do mar

Em 2011, a Vale deu início às operações de transbordo em alto mar, a cerca de 40 quilómetros do Porto da Beira. Desde esta altura, e de dois em dois meses, uma equipa de técnicos recolhe amostras de água do mar para análise.
Este exercício permite controlar eventuais alterações na qualidade das águas oceânicas. Durante este processo, os especialistas monitorizam também as emissões atmosféricas e as águas de lastro dos navios usados na operação de transbordo observando a fauna e garantindo o respeito pela biodiversidade marinha

Dessalinizadora em Nacala

Construída em Nacala-a-Velha, a infraestrutura funciona através da captação e tratamento da água do mar e tem como objectivo a distribuição de água doce de boa qualidade para diversos fins, sem causar impactos nas reservas da região que, além de raras, são utilizadas pela população local. Esta é uma solução utilizada em regiões onde não existem muitas reservas de água doce mas onde há possibilidade de captar água do mar de qualidade e em quantidade.

Numa  fase inicial, a dessalinizadora deverá produzir cerca 40 metros cúbicos de água por hora, o que equivale a mais de 900 mil litros de água por dia. Na fase operacional do porto, a produção será de mais de 100 metros cúbicos por hora num total de mais de 2 milhões de litros de água por dia.

​​