Mineração

Minério de Ferro e Pelotas

Minério de Ferro
e Pelotas

A Vale é a maior produtora mundial de minério de ferro e pelotas, matérias-primas essenciais para a fabricação de aço.

O minério de ferro é encontrado na natureza na forma de rochas, misturado a outros elementos. Por meio de diversos processos industriais com tecnologia de ponta, o minério é beneficiado para, posteriormente, ser vendido para as indústrias​ siderúrgicas.

Na construção de casas, na fabricação de carros e na produção de eletrodomésticos, encontra-se um pouquinho do minério de ferro produzido pela Vale.

Onde?

Nossas minas estão concentradas no Brasil, onde operamos também plantas de pelotização. Temos duas usinas pelotizadoras em Omã e participação em joint ventures na China para a produção de pelotas, pequenos aglomerados de partículas de ferro.

minas

Carajás

É a maior operação da Vale, localizada no norte do Brasil, na Amazônia. O minério de Carajás é considerado o minério de ferro de melhor qualidade do mundo.

carajás

 

Como?

Transformar o minério de ferro em material utilizável é
um longo processo. Conheca as etapas de produção de
minério de ferro em nosso infográfico interativo.

Clique Aqui ilustração

 

Tecnologia e sustentabilidade

Menos água

Economia

Na mina do Sossego, operação de cobre localizada em Canaã dos Carajás, no Pará, uma série de ações voltadas para aumentar a recirculação da água fez com que, em 2012, a sua reutilização chegasse a 99%. A economia no consumo equivale a cerca de 900 mil m3/ano de água, que antes era bombeada do rio Parauapebas. A quantidade é suficiente para abastecer uma cidade de 25 mil habitantes por seis meses.

Mais reaproveitamento

O sistema de reaproveitamento de minério já permitiu reprocessar 5,2 milhões de toneladas de minério ultrafino depositado nas barragens, que, sem esta tecnologia, seria desperdiçado.


 
 

Transporte eficiente

Temos 10 mil quilômetros de ferrovias próprias e utilizamos os maiores navios mineraleiros do mundo. Os Valemax têm capacidade de 400 mil toneladas – 2,3 vezes mais do que os tradicionais capesizes e emitem 35% menos CO2 por tonelada de minério transportado.

​​​​​​​​